MENU

Por retrospecto recente, maior moleza nas quartas é a do Timão

Por retrospecto recente, maior moleza nas quartas é a do Timão

Atualizado: Terça-feira, 19 Abril de 2011 as 9:14

 A julgar pelo retrospecto recente, o Corinthians é o time grande que encontrara menos dificuldade nas quartas de final, já que atropelou o Oeste na primeira fase por 3 a 0. São Paulo e Palmeiras também venceram seus adversários - Portuguesa e Mirassol, respectivamente -, mas pela vantagem mínima de gols. Já o Santos é o time grande que terá a maior pedreira: a Ponte Preta, sábado, na Vila Belmiro.

O Peixe não venceu a Macaca na primeira fase – empatou em 1 a 1 -, ao contrário dos rivais Palmeiras, Corinthians e São Paulo, que venceram Mirassol, Oeste e Portuguesa, respectivamente.

O mais irônico é que o chamado “trio de ferro da capital” perdeu para a Ponte, e todos agora pareciam querer fugir da Macaca.

- Respeito o time deles (Oeste), mas é muito melhor pegar o Oeste do que a Ponte Preta – disse o meia Bruno César, do Corinthians, que se livrou da Macaca por ter um gol a mais de saldo do que o Santos.

- A Ponte Preta é um adversário forte, de tradição. Vai ser complicado – disse o técnico santista, Muricy Ramalho.

O Santos venceu Mirassol (3 a 0), Portuguesa (3 a 0) e Oeste (2 a 0), e em nenhum desses jogos contou com sua força máxima, já que jogadores como Ganso e Arouca saíram há pouco tempo do departamento médico. Contra a Ponte, logo no início do Paulistão, e ainda sob o comando de Adilson Batista, o Peixe arrancou um empate em 2 a 2 em Campinas.

 Jogando no Moisés Lucarelli, o Palmeiras teve pior desempenho. O time perdeu uma série invicta de 15 jogos no último domingo, ao ser derrotado pela Ponte por 2 a 1. Menos mal que o adversário nas quartas não será a Ponte, mas sim o Mirassol, equipe que já foi derrotada pelo Verdão neste campeonato.

O jogo terminou 1 a 0 para o Palmeiras e foi realizado em Mirassol no dia 2 de fevereiro, uma data inesquecível para muito palmeirense, já que marcou a eliminação do rival Corinthians na Taça Libertadores, frente ao Tolima, da Colômbia.

Ser eliminado já na primeira fase do torneio internacional mais importante da América do Sul foi um baque para os corintianos, mas os comandados de Tite, depois de algumas semanas, conseguiram dar a volta por cima.

 O time se recuperou e chegou a liderar o Paulistão. Mas aí passou por uma série de três jogos sem vencer – recuperou-se na última rodada contra o Santo André, mas terminou em terceiro.

O que deixa os corintianos ainda mais aliviados é que o adversário no jogo de sábado, no Pacaembu, é o Oeste, que já foi derrotado no mesmo estádio, dia 23 de março, com extrema facilidade, por 3 a 0. Veja no vídeo ao lado.

Já o São Paulo teve muito mais dificuldade para passar pela Portuguesa, em jogo realizado no Canindé, no dia 13 de fevereiro.

O time do técnico Paulo César Carpegiani venceu por 3 a 2 a partida que marcou a estreia do zagueiro Rhodolfo – e o jogador começou com o pé direito no Tricolor, fazendo um dos gols da vitória.

 O jogo entre São Paulo e Portuguesa pelas quartas de final tem mando de campo do Tricolor, mas não será no Morumbi, e sim na Arena Barueri.

A diretoria são-paulina quer preservar o gramado "de casa" para o jogo da volta contra o Goiás, pela Copa do Brasil, dia 27 - quando Luis Fabiano fará sua reestreia pelo clube. O campo ficou em péssimas condições depois da realização dos três shows da banda irlandesa U2 na semana passada.      

veja também