MENU

Portuguesa pode superar recorde corintiano na Série B

Portuguesa pode superar recorde corintiano na Série B

Atualizado: Sábado, 27 Agosto de 2011 as 8:47

Sem dar alegrias ao seu torcedor desde 2007, quando retornou à Serie A do Brasileiro --caiu no ano seguinte--, a Portuguesa alimenta novamente o sonho de voltar à elite do futebol nacional.

Leia mais sobre o Campeonato Brasileiro Veja a classificação da Série B A confiança se deve a fase que o time lusitano atravessa na Série B do Brasileiro. Apesar de vir de dois jogos sem vitória --perdeu para o Vila Nova por 1 a 0 e empatou com o Duque de Caxias em 0 a 0--, a Portuguesa é a líder da competição, com 37 pontos --oito a mais do que o Sport, quinto colocado e primeiro time fora do G-4.

Rubens Cavallari - 16.ago.11/Folhapress Ferdinando (dir.) observa Guilherme que disputa a bola com rival do Vila Nova, no Canindé Além da liderança, os números da Portuguesa no campeonato também comprovam o bom momento. A Lusa está a uma vitória de superar as campanhas de Corinthians (2008) e Vasco (2009), que tiveram os melhores desempenhos desde que a Série B começou a ser disputada em pontos corridos (2006).

Em 19 jogos, o time paulista e a equipe carioca conquistaram 39 pontos e 11 vitórias. A uma rodada do fim (recebe o Icasa, neste sábado, {as 16h20), o time do Canindé soma 37 pontos e os mesmos 11 triunfos.

Fernando Santos - 16.dez.10/Folhapress O presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa "É um dos melhores times da Portuguesa dentro de campo nos últimos anos. Temos jogado com a mesma postura fora de casa e no Canindé. A Portuguesa tinha perdido um pouco do respeito dos adversários", disse o presidente do clube, Manuel da Lupa.

A campanha é mais surpreendente ainda se for levado em conta o aspecto financeiro. A folha salarial da Portuguesa gira em torno de R$ 1 milhão --duas vezes menor do que o Corinthians em 2008, que gastava cerca de R$ 3,3 milhões por mês.

"Estamos fazendo um esforço muito grande para manter tudo em dia com os jogadores, comissão técnica e funcionários. É uma competição que não vamos ter a compensação financeira, já que custa muito caro montar um time forte", disse o presidente.

"A Série B não é um inferno, mas está perto. Por isso, temos que fazer de tudo para subir porque depois é outra realidade. Se acumularmos dividas, teremos condições de pagar depois na Série A."

PÉS NO CHÃO

O técnico Jorginho, no clube desde fevereiro deste ano, é cauteloso para falar sobre a campanha atual. Ele não demonstra tanta empolgação e justifica lembrando que ainda faltam 20 jogos para o final do campeonato.

"Não pensamos em recordes. Pensamos em fazer o máximo de pontos possíveis neste turno e repetir a dose no returno. Não adianta ir bem agora e somar poucos pontos depois porque ficaríamos fora da zona de acesso. Estamos com os pés no chão", disse.

Sobre a possibilidade da equipe perder jogadores para equipes da Série A, o treinador não demonstra preocupação.

"Não sei se vamos perder alguém. Acho interessam desde o nosso goleiro titular até o último reserva. Não posso atrapalhar a vida de ninguém e nem do clube. Se o atleta tem condição de ganhar mais e quiser sair, ele tem de ir. Não adianta segurar porque aí vai gerar insatisfação e pode prejudicar o trabalho na equipe", afirmou.    

veja também