MENU

Prass sobre perda da liderança: Se fosse eleição, seria empate técnico

Prass sobre perda da liderança: Se fosse eleição, seria empate técnico

Atualizado: Terça-feira, 11 Outubro de 2011 as 10:38

Destaque do Vasco, Prass frisa o equilíbrio no

Brasileiro (Foto: Rafael Cavalieri / Globoesporte.com)

  A derrota para o Internacional, domingo, em Porto Alegre tirou do Vasco a liderança do Campeonato Brasileiro, mas não a confiança no título nacional. A diferença de um ponto para o Corinthians é vista em São Januário como algo recuperável. Faltam dez rodadas para o fim da competição.

De acordo com o goleiro Fernando Prass, a briga pelo topo da tabela está tão acirrada que neste momento o Brasileirão está como uma disputa eleitoral, empatada tecnicamente. - É difícil se manter líder. O que vale é a ultima rodada. Se fosse uma eleição, seria empate técnico. Com certeza o Corinthians não vai manter o aproveitamento do início da competição. Nosso ponto forte é a regularidade e esperamos mantê-la até o final – declarou o goleiro, que resumiu o sentimento do time após uma derrota por 3 a 0 e a perda da liderança.

- Dá mais motivação, gana, inconformidade, revolta interna para voltar à liderança. Não adianta ser líder antes e perder no final. Quanto antes melhor, mas o que interessa é no final – completou.

As grandes defesas que realizou no confronto com o Inter fizeram de Prass um dos destaques da rodada. Em ótima fase, o jogador é um dos responsáveis por fazer do Vasco a quarta defesa menos vazada do Brasileirão, com 33 gols sofridos em 28 jogos. Mesmo assim, ele garante que trocaria todos os reconhecimentos individuais por vitórias.

- O melhor jogo para o goleiro é aquele que você não toma gol. Se fizer dez defesas ou  nenhuma, para mim não interessa, o que interessa é não sofrer gols. Se puder vencer, é ainda melhor, mas o campeonato é muito difícil, e só o Palmeiras tem uma média inferior a um gol por partida – avaliou.

Sempre muito atento aos números e aos adversários, Fernando Prass já analisou o que o Vasco pode esperar no embate de quinta-feira diante do Atlético-PR.

- Eles vão querer vencer em casa. Esses jogos têm menos qualidade técnica, só que mais disposição. Joga-se na base da força para minimizar os riscos. Lá na Arena (da Baixada) será assim, um jogo mais truncado, de muita luta, muito contato físico. Não deve ser como foi contra o Corinthians e Inter – analisou.            

veja também