MENU

Presidente praticamente descarta efetivação de interino no Santos

Presidente praticamente descarta efetivação de interino no Santos

Atualizado: Segunda-feira, 21 Março de 2011 as 1:11

O presidente do Santos, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, promete anunciar a decisão sobre o futuro técnico da equipe ainda nesta segunda-feira. A tendência é que o atual interino, Marcelo Martelotte, volte a trabalhar como auxiliar técnico. Possibilidade de efetivação está praticamente descartada - só acontecerá em último caso: se o Peixe não conseguir acertar com nenhum outro treinador. Muricy Ramalho é o primeiro nome na lista. Após reunião realizada nesta segunda-feira pela manhã, em São Paulo, com os membros do Grupo Guia (Gestão Unificada de Inteligência e Apoio ao Santos), o comitê gestor do clube, ficou decidido que o clube vai atrás de outro comandante para seu time de futebol.

À tarde, em Santos, haverá um novo encontro. Dessa vez, entre os dirigentes da área de futebol do clube. Martelotte será avisado sobre a decisão e, em seguida, a diretoria irá anunciar. O técnico Muricy Ramalho, que se demitiu do Fluminense, é o primeiro nome da lista. Já houve contatos preliminares com o treinador e, a partir desta semana, o clube vai intensificar as negociações.

Oficialmente, Luis Alvaro diz que ainda existe a hipótese de efetivação de Martelotte, mas seu discurso deixa claro que isso não deverá acontecer.

- A condição de interinidade do Marcelo (Martelotte) claramente não está servindo nem a ele e nem ao Santos. Temos de tomar uma decisão. É uma pessoa do bem, honesta, séria, tem um futuro brilhante. Antes de tomar a decisão final, vou falar com ele. Ou efetivamos, ou vamos à procura de um técnico com mais experiência internacional - afirmou o dirigente, em entrevista à rádio Bandeirantes.

Sobre Muricy, o mandatário alvinegro reafirmou que se trata de alternativa óbvia, pois é experiente, vencedor e está à disposição no mercado. Ele acredita até que o clube poderá tentar convencer o técnico a abreviar seu descanso. Após sair do Flu, Muricy disse que queria parar por, pelo menos, um mês.

- Acho que podemos sim (tentar abreviar as férias do técnico). Certamente temos argumentos para isso. Ele é um profissional e, do diálogo, nascem as soluções.

Por outro lado, a diretoria não trabalha apenas com uma opção. Como sabe que Muricy é um treinador caro, o Peixe tem outras cartas na manga.

- Não existem muitos técnicos disponíveis, mas pode surgir alguma surpresa. Vamos primeiro conversar com todos os envolvidos, depois vamos atrás - concluiu.      

veja também