MENU

Quatro anos depois, Robinho se consolida como referência da Seleção

Quatro anos depois, Robinho se consolida como referência da Seleção

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 10:07

Dois filhos, novo visual e mais forte fisicamente. É com esse quadro que o atacante Robinho vai participar de sua segunda Copa América. Campeão em 2007, na Venezuela, sob o comando de Dunga e reverenciado como um dos grandes destaques do time, o Rei das Pedaladas desembarcou na Argentina para a competição de 2011 como referência para a garotada encabeçada por Neymar e Lucas, do São Paulo. Mas quais foram as principais mudanças que o jogador, de 27 anos, sofreu de lá para cá?

Enquanto em 2007 o jogador era reserva do Real Madrid do italiano Fábio Capello, hoje o atacante é um dos titulares do Milan, atual campeão italiano. Se naquele ano, os merengues levantaram o título, Robinho encarou a dura realidade de não contar com a confiança do comandante. O que não acontecia na Seleção. A aposta de Dunga, que não contou com Kaká e Ronaldinho Gaúcho, surtiu efeito e o Rei das Pedaladas assumiu a responsabilidade de levar a equipe ao título do torneio.

Além de artilheiro da Copa América da Venezuela, com seis gols, Robinho ainda foi eleito o melhor do torneio. Quatro anos depois, o jogador pode até não ser a principal estrela do time, mas goza de prestígio com a comissão técnica de Mano Menezes, que chegou a colocá-lo como capitão do time nos primeiros amistosos de 2010.

Robinho na Copa América de 2007 e nos treinos da Seleção de Mano Menezes

 visando à Copa América, que será disputada entre os dias 1º e 24 de julho,

na Argentina (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM)

  O atacante soube se repaginar ao longo desses quatro anos. Após voltar a viver altos e baixos no Manchester City, Robinho trocou a Inglaterra por sua casa. Retornou para o Santos em 2010. Foi lá que conheceu Neymar & cia. Foi campeão paulista e da Copa do Brasil e chamou a atenção novamente dos grandes da Europa. Acabou no Milan, onde foi campeão na atual temporada e recuperou o prestígio de outrora.     Mas as mudanças não foram apenas no comportamento e no status. Em 2007, Robinho tinha 1,72m e pesava 60kg. O Rei das Pedaladas ganhou massa em quatro anos. Se a altura seguiu a mesma, o peso subiu um pouco. Após passagens por Real Madrid, Manchester City e Milan, o atleta ficou mais forte. Ficou 2kg mais pesado. Mas o que mais chamou a atenção foi a mudança visual do atacante. A cabeça raspada deu lugar ao corte à la Pelé, adotado desde os amistosos da Seleção em solo brasileiro, no início de junho.

As chuteiras de Robinho em 2007 também eram diferentes. O patrocinador era o mesmo, o fornecedor de material esportivo da Seleção Brasileira. A cor era outra. Há quatro anos, o prata predominava. O nome da esposa Vivian Nunes e do filho Robson, que nasceu no fim daquele ano, estavam bordados nos pés do jogador.

Em 2011, o modelo é outro. Na cor cinza, Robinho agora homenageia o filho Robson Júnior com a mensagem: “Papai te ama”. O Rei das Pedaladas comentou a evolução da última Copa América para a que será disputada na Argentina, a partir do dia 1º de julho.

Chuteira de Robinho em 2011 tem homenagem ao

filho (Foto: Leandro Canônico/Globoesporte.com)

  - Eu me sinto igual a 2007, com a mesma motivação, a mesma alegria de jogar e com vontade de ser campeão novamente. Tive a experiência de ser campeão da Copa América anterior e quero de novo – disse Robinho.

Outra coincidência é o fato de Robinho ter tido o primeiro filho, Robson, em 2007, ano de Copa América e de conquista. Em 2011, a mesma coisa. Vivian, esposa do Rei das Pedaladas, deu a luz ao menino Gianluca no fim de abril. Se depender da sorte das crias, o camisa 7 tem tudo para conquistar mais um caneco para a Seleção Brasileira.

- Quem estava esperando o bebê era a minha esposa (risos). Foi um momento feliz na minha carreira. Fiz alguns gols para o meu primeiro filho naquela competição. Agora tenho o segundo e espero fazer muitos gols porque são dois e preciso homenagear todos. Guardo aquele momento de 2007 com muito carinho - disse o jogador.          

veja também