MENU

Rapidez das 'baixinhas' tailandesas preocupa o técnico Zé Roberto

Rapidez das 'baixinhas' tailandesas preocupa o técnico Zé Roberto

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 2:46

Véspera do primeiro jogo da segunda fase do Mundial do Japão, e o treino do Brasil se prolonga por cerca de mais meia hora. Na quadra do Nippon Gaishi Hall, em Nagoya, Fabiana, Thaisa e Adenízia treinam intensamente apenas um fundamento: o bloqueio. Apesar de as duas primeiras estarem na lista das dez melhores na rede até o momento, o técnico José Roberto Guimarães não quer correr o risco de ver sua muralha ser superada pelo "baixinho" time da Tailândia, adversário deste sábado, às 4h30m (de Brasília).

- A Onuma e a Wilavan são as ponteiras, as mais rápidas do time. Já a Malika, a oposta, se mexe muito. Precisamos ficar atentos nisso no bloqueio. Venho batendo nessa tecla do sistema defensivo há muito tempo. Mas contra a Tailândia, vai ser fundamental. Pelo que eu estudei vendo vídeos, eu diria, que é a seleção que tem maior número de combinações de ataque do Mundial - afirmou o técnico.

Zé Roberto explicou que a baixa estatura do time tailandês, que poderia ser uma desvantagem, é compensada pela velocidade de ataque. Onuma tem 1,75m; Wilavan, 1,74m e Malika, 1,77m. A mais alta, Utaiwan, mede 1,89m, sete centímetros a menos que Thaisa. Fabiana tem 1,93m; A mais baixinha do time tailandês, Nootsara, tem 1,69m, mesma altura de Fabi.

- Elas são mais baixas, mas se mexem muito, principalmente, quando a rede está com três jogadoras. Nós estamos acostumados a subir com as mais altas, agora temos que concentrar na altura que elas vão atacar e tentar pular tão rápido quanto elas. Não vamos acertar na primeira, nem na segunda vez. Mas, com o passar do jogo, ajustamos isso.

Por: Mariana Kneipp

veja também