MENU

Recuperada e pronta, Jaqueline é a arma do Osasco por vaga na semifinal

Recuperada e pronta, Jaqueline é a arma do Osasco por vaga na semifinal

Atualizado: Quinta-feira, 31 Março de 2011 as 10:41

O retorno veio antes do esperado, mas a ansiedade já estava além do suportável. Depois de quase dois meses fora das quadras por conta de uma lesão no joelho esquerdo, Jaqueline voltou ao Osasco justamente na fase decisiva da Superliga feminina, no último domingo. Entrou apenas para sacar e fazer o fundo de quadra, mas já ensaiou algumas jogadas e ajudou seu time na vitória por 3 sets a 0 sobre o Praia Clube no primeiro confronto das quartas de final. Nesta quinta, às 19h, no Ginásio Praia Clube, em Uberlândia, Minas Gerais, a ponteira deverá ficar mais tempo em quadra na tentativa de fechar o duelo e garantir a classificação às semifinais.

- Estou muito feliz com esse retorno. Está sendo uma prova de fogo, voltar justamente nas finais de um campeonato que é tão importante. Espero conseguir contribuir da melhor maneira possível dentro de quadra. Tudo que eu precisava fazer, eu fiz. Fisioterapia, os treinos... Estou pronta – afirmou a jogadora.

Fora das quadras, Jaqueline viu o Osasco garantir seu lugar nos playoffs com alguma facilidade, avançando em segundo lugar, atrás apenas do Rio de Janeiro na tabela. Não que isso tenha tirado o nervosismo da ponteira. Ela afirma que, no início, deixou de ir a alguns jogos justamente por isso.

- Ficar fora, assistindo, quando poderia estar ajudando, foi a pior fase. No início, nem aparecia em muitos jogos por isso. Para uma atleta de alto nível e que sofreu uma lesão é bem difícil. Mas a melhor coisa é dar a volta por cima mais uma vez. Já tive duas lesões sérias, agora a terceira. Por respeito à Thaís, que vem segurando bem a barra, a minha oportunidade vai aparecer naturalmente. Estou fazendo tudo o que manda o figurino e estou apta a jogar. Eles quiseram segurar um pouco mais, mas quero entrar por mais tempo e fazer algo mais. Mas retornei antes do previsto, no tempo mínimo de recuperação. E estou bem feliz.

Jaqueline, no entanto, reconhece o frio na barriga pouco antes de entrar em quadra no último domingo. E ela confessa que a sensação deve ser ainda maior no momento em que voltar ao time titular.

- Em todos os jogos é assim. Toda atleta sente isso. É um recomeço para mim e para o time. Estamos começando outro campeonato. Bem mais acirrado, buscando vaga nas semifinais e na final. É completamente diferente. Para mim, o frio na barriga vai ser maior quando estiver entre as seis desde o início, quando marcar o primeiro ponto... Mas depois que acontecer, passa.     A ponteira acredita que a vitória na primeira partida foi importante para dar confiança ao time de São Paulo. Jaqueline afirma que, se o time mantiver a concentração, conseguirá a vaga na próxima fase.

- O primeiro jogo foi importante para todas sentirem a vitória. Crescemos bastante. Cada uma sabia que precisava dar o máximo e deu. Nessa crescente, a equipe tem todas as condições de chegar. Precisamos fazer o nosso trabalho, respeitando os outros times. Não temos um diferencial. Todas as equipes estão buscando o mesmo objetivo, que é o título. Todos estão fazendo o seu trabalho. E vai vencer a equipe que jogar melhor – afirmou.

Técnico do Praia Clube acredita em recuperação

Do outro lado, o Praia Clube também mostra confiança na recuperação. O técnico do time de Uberlândia, Boni, acredita que sua equipe fará um jogo melhor do que o do último domingo.

- O grupo está bem. Analisando a primeira partida tivemos as nossas chances. No primeiro set ficamos na frente toda a parcial e não conseguimos fechar, depois de cometer cinco erros em sequência. Isso não pode ocorrer. Estamos trabalhando o lado emocional do grupo e a nossa confiança - disse Boni.

O treinador afirma que a presença da torcida será fundamental para uma vitória do Praia Clube.

- Vamos jogar com a torcida do nosso lado e cada vez estaremos mais acostumados a pressão e confiantes, mesmo o nosso time sendo jovem.

Vôlei Futuro também tenta encerrar a série No outro jogo da semifinal, o Vôlei Futuro também tenta a definição da vaga. Depois de derrotar o Macaé, em casa, no último domingo, a equipe de Araçatuba encara o time do norte fluminense nesta quinta, às 21h45m.

- Será um jogo ainda mais difícil do que o último. Nosso time está focado e sabe das dificuldades que teremos por jogarmos em Macaé. Sabemos do potencial do adversário e temos a consciência que é um time que cresce muito jogando em casa. É preciso manter a pegada do primeiro jogo – afirmou William Carvalho, treinador do Vôlei Futuro.      

veja também