MENU

Redes sociais e MSN ajudam sub-20 a matar saudade da família no Peru

Redes sociais e MSN ajudam sub-20 a matar saudade da família no Peru

Atualizado: Sábado, 22 Janeiro de 2011 as 10:50

Redes sociais e MSN. Esses são os campeões de audiência entre os jogadores da Seleção Brasileira sub-20 em Tacna, no Peru, local do Sul-Americano da categoria, que dá duas vagas para as Olimpíadas de 2012, em Londres, e quatro para o Mundial, em julho, na Colômbia. E é justamente por esses meios que os atletas têm mantido contato com os familiares e os fãs de todo Brasil. Nas horas vagas, no Gran Hotel, não tem jeio: overdose de internet.

Há 12 dias longe de casa, essa é a maneira mais rápida e barata de contactar os familiares. Neymar, por exemplo, aproveitou a presença maciça de fãs e amigos em seu Twitter, microblog da internet, para dedicar um de seus gols a uma pessoa querida, que faleceu quando ele ainda estava na Granja Comary, em Teresópolis, no início da preparação.

- Queria dedicar um dos meus gols do primeiro jogo a "um santista fanatico", que vai sempre estar nos olhando la de cima. É pra voce "NELSÃO" - postou Neymar em sua página.

O zagueiro Bruno Uvini aproveitou a rede social para agradecer o carinho dos fãs, que postaram um vídeo em sua homenagem.

- Já viram o vídeo que fizeram para mim? Gostei muito - colocou o zagueiro e capitão da sub-20.

O lateral-direito Rafael Galhardo, que é natural de Friburgo, postou no Twitter toda a sua angústia com o estrago causado pelas fortes chuvas na região serrana do Rio de Janeiro. Sem ter sofrido perdas na família, o jogador afirmou que tomou conhecimento de tudo pela internet.

- Via tudo que acontecia pela internet, só tinha essa maneira. Consegui falar com os meus pais e eles estão muito bem. É complicado ver tudo pela internet ou pela televisão. Você fica preocupado - admitiu o jogador canarinho.

A Seleção Brasileira sub-20 volta a campo no próximo domingo, às 11h30m (14h30m, de Brasília), para enfrentar a Bolívia, em Moquegua, pela terceira rodada do Grupo B do Sul-Americano.   Por: Marcio Iannaca

veja também