MENU

Renovada, Seleção tem seu segundo desafio com Mano diante do Irã

Renovada, Seleção tem seu segundo desafio com Mano diante do Irã

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 8:51

A renovada Seleção Brasileira de Mano Menezes vai voltar a campo nesta quinta-feira, às 14h (de Brasília), para encarar o segundo desafio após a eliminação precoce da Copa do Mundo da África do Sul. Diante do Irã, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, uma equipe repleta de caras novas para os brasileiros e para os torcedores que vão acompanhar a partida no Zayed Sports City. Do mais jovem, Philippe Coutinho, de 18 anos, ao mais velho, o goleiro Jefferson, de 27, tudo ainda é muito novo com a camisa amarelinha. Poucos têm experiência na lista do treinador canarinho. Acompanhe a partida ao vivo pela TV Globo e em Tempo Real pelo GLOBOESPORTE.COM.

Para se ter uma ideia da renovação, dos 22 jogadores que estão em Abu Dhabi, apenas cinco disputaram a Copa do Mundo. O lateral-direito Daniel Alves, o zagueiro Thiago Silva, o volante Ramires e os atacantes Robinho e Nilmar estiveram na África do Sul. Em contrapartida, outros cinco foram convocados pela primeira vez para a Seleção. São os casos do goleiro Neto, do lateral-direito Mariano, dos volantes Elias e Wesley e do meia Giuliano.

Ainda tem outro dado que chama a atenção. O goleiro Jefferson, o zagueiro Réver e o meia-atacante Philippe Coutinho estão em sua segunda convocação. Porém, nenhum deles participou de uma partida oficial. Certo mesmo é que os novatos sofreram na mão de Robinho na véspera da partida. Como é de praxe, eles receberam um trote na concentração da Seleção Brasileira, em Abu Dhabi.   Apenas um treino antes do confronto diante dos iranianos Mano Menezes teve pouco tempo para preparar a Seleção. O grupo só desembarcou em Abu Dhabi na segunda-feira à noite e realizou uma atividade de cerca de uma hora na última terça-feira, no Zayed Sports City. O treinador preferiu não mexer muito no time em relação ao que venceu o Barcelona B por 3 a 0, em um jogo-treino na Europa, no mês passado.

O esquema é o mesmo 4-3-3 da estreia oficial, na vitória sobre os Estados Unidos por 2 a 0. Porém, algumas peças são diferentes. Com Paulo Henrique Ganso fora por conta de uma lesão, Mano optou por escalar Carlos Eduardo no meio-campo. Philippe Coutinho ganhou a posição de Neymar, que não foi convocado por conta de problemas de indisciplina no Santos. Alexandre Pato e Robinho, ambos do Milan, completam o setor ofensivo.

Alex, do Chelsea, contundido foi cortado por Mano. Nenhum atleta foi convocado para o seu lugar para a partida desta quinta-feira. Além dele, o lateral-esquerdo Adriano, do Barcelona, recuperando de um estiramento no músculo adutor da coxa direita, não vai participar do confronto diante dos iranianos.

- Vejo esses problemas (lesões) como a normalidade do dia a dia. Uns machucam e outros têm a chance da convocação. Quando os atletas se recuperarem terão a chance de produzir novamente. Vamos tentar avançar o nosso trabalho nessas duas partidas que vão acontecer nos próximos dias - analisou o treinador, que ainda terá o amistoso contra a Ucrânia, no dia 11, na Inglaterra, para observar o grupo.

Casa cheia em Abu Dhabi?

A expectativa é de casa cheia no Zayed Sports City, em Abu Dhabi, o que não é muito comum no mundo árabe. Normalmente, os jogos do campeonato local têm público de pouco mais de cinco mil pessoas. Para o confronto da Seleção Brasileira, os organizadores colocaram mais de 49 mil ingressos à venda. Segundo o torcedor Fabrício Cabral, de 31 anos e que mora no país há um mês e meio por conta de um trabalho na área do petróleo, iranianos e brasileiros têm procurado por ingressos para acompanhar a partida.

- A procura tem sido grande, o que não é normal nos jogos aqui. O pessoal todo da minha empresa vai acompanhar a partida - disse o torcedor, que assisiu ao treino da Seleção Brasileira na última quarta-feira dentro do gramado do Zayed Sports City.   Mano conhece bem os iranianos

A equipe que vai enfrentar o Brasil nesta quinta-feira não é completamente desconhecida de Mano Menezes. O treinador acompanhou os últimos jogos do rival no West Asian Football Federation Championship. O Irã foi derrotado na final do torneio pelo Kuwait por 2 a 1 e acabou ficando com o vice-campeonato da competição, que já havia vencido em quatro oportunidades. Segundo o comandante da Seleção, a equipe tem uma proposta de jogo bem definida.

- É um adversário que jogou um torneio recentemente e perdeu para o Kuwait. Eles vinham bem nesse torneio, estavam dominando o jogo, mas levaram o gol em um descuido. Não podemos repetir o erro deles. Eles jogam com duas linhas de quatro e dois atacantes - explicou o treinador.

O Irã tem como principais jogadores o capitão Nekounan e o apoiador Teymourian. O primeiro, inclusive, havia sido afastado em 2009 após demonstrar apoio ao candidato de oposição ao governo iraniano. Perdoado, ele retornou à Seleção.

A partida também terá um ar de despedida no Irã. Aos 37 anos, Karim Bagheri, do Persepolis, vai fazer o seu último jogo com a camisa da seleção. Ele participou de 86 partidas e marcou 50 gols. Se no time brasileiro é o começo para muitos, nos rivais...     Postado por: Guilherme  Pilão

veja também