MENU

Reserva chateia Abbondanzieri. Renan elogia colega

Reserva chateia Abbondanzieri. Renan elogia colega

Atualizado: Sexta-feira, 30 Julho de 2010 as 9:53

bbondanzieri ficou abatido com perda da condição

de titular (Foto: Jefferson Bernardes / Vipcomm)  

Renan, na prática, só precisou de um jogo para tirar de Pato Abbondanzieri o posto de guardião do gol colorado. Ele foi o escolhido para defender a meta vermelha contra o Flamengo e já seguiu no time diante do São Paulo. A situação chateou o argentino, conforme revelam pessoas que frequentam o vestiário do Inter. Pato estava ciente do perigo que representou a chegada de Renan, mas esperava seguir sob o travessão gaúcho. Não aconteceu. E agora o goleiro multicampeão pelo Boca Juniors precisa amargar o banco. Segundo Renan, a troca não provocou problemas na intimidade do clube. O novo titular elogia seu colega.

- Todos somos conscientes de onde estamos. É um clube grande. O Pato sabe que a exigência é enorme. Ele é um cara que, além de grande goleiro, é grande pessoa. Não tem nenhum tipo de atrito. O Celso explicou bem a opção dele. Pra mim, claro, é fácil falar, porque estou no lado bom. O Pato ficou chateado, é normal, porque já ganhou três Libertadores, mas me deu todo o apoio – disse Renan.

Renan já tinha indícios de que seria titular em breve. Em dois jogos, ele tem o que comemorar. O goleiro ainda não foi vazado.

- A partir do momento em que houve os contatos com o Inter, em que chegamos a um acordo, conversamos sobre a possibilidade de jogar, que nada era garantido, mas que se eu comprovasse que poderia ser titular, poderia acontecer. Estou feliz com o momento, respeito muito os outros goleiros, especialmente o Pato, que vinha jogando, mas quero aproveitar o momento. Foram dois jogos importantes, e dois jogos sem tomar gols – comentou Renan.

Celso Roth não confirmou, mas Renan deve ser titular no Gre-Nal de domingo, no Beira-Rio, pelo Campeonato Brasileiro. O treinador pretende escalar time reserva, mas vê necessidade de dar ritmo de jogo ao goleiro.

Por Alexandre Alliatti Porto Alegre

veja também