MENU

Ricardo Teixeira segue à frente da CBF e não muda sucessão

Ricardo Teixeira segue à frente da CBF e não muda sucessão

Atualizado: Quarta-feira, 29 Fevereiro de 2012 as 7:22

Renan Rodrigues e Vicente Seda, iG Rio de Janeiro

Cartola fala a presidentes de federação, e mudanças no estatuto discutidas na assembleia-geral nada mudam no processo sucessório

Ricardo Teixeira continua na presidência da CBF. Após cerca de três horas de assembleia geral na entidade, o único dos 27 presidentes que compareceu para dar entrevista coletiva foi Rubens Lopes, da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), que presidiu a sessão e foi designado para dar explicações. Além de confirmar a permanência de Ricardo Teixeira, Lopes afirmou que o estatuto da CBF é claro quanto a uma possível sucessão, ou seja, no caso de renúncia ou afastamento definitivo de Teixeira, José Maria Marín, o vice-presidente mais idoso da entidade, assume o cargo. No caso de ausência temporária, Teixeira pode indicar qualquer um dos seus vices, conforme determina o estatuto.

Leia ainda: "Se Deus quiser, ele fica", diz Andrés sobre Teixeira

Indagado se haveria uma licença de Teixeira em função de problemas de saúde, Lopes foi evasivo. "Em relação ao problema de saúde, isso não foi discutido. É uma questão pessoal. A permanência do presidente foi devidamente esclarecida a partir do momento que ele colocou uma nota oficial no site da CBF antes do carnaval, dizendo que após o carnaval voltaria a exercer normalmente a sua função, como aconteceu", disse Lopes, para em seguida responder perguntas sobre possíveis alterações no processo de sucessão.

"Não há como se afastar dos dispositivos estatutários e na ausência temporária, assume o exercício aquele que for assim designado pelo presidente. No caso de uma vacância do cargo, assume o vice mais idoso. É ponto pacífico, não há discussão, está no estatuto desde 2006", completou.

 

 

Ricardo Teixeira e Ronaldo em evento da Copa de 2014

Foto: Getty Images

O presidente da Federação do Ceará, Mauro Carmélio, contudo, deu mais detalhes do que realmente aconteceu. Ele confirmou que Teixeira fará exames médicos por conta dos problemas de saúde e, só após o resultado desses exames, tomará uma decisão a respeito da necessidade de pedir uma licença.

Veja mais: Assembleia muda sucessão de vices e acúmulo de cargos

Neste caso, como o afastamento seria temporário, Teixeira estaria livre para indicar qualquer um dos seus cinco vice-presidentes regionais para ocupar o seu cargo interinamente. O presidente da CBF deve iniciar essa bateria de exames já nesta sexta-feira. Ele já está em tratamento por conta de uma diverticulite (tipo de inflamação no intestino).

 

“É uma questão pessoal, tudo depende dos exames. De repente é só tomar remédio e pronto, não precisa se afastar. Ele parecia bem, estava com boa aparência. Foi uma assembleia muito tranquila. A convocação extraordinária aconteceu porque a próxima assembleia ordinária é para aprovação de contar. Para mudanças no estatuto, a convocação é extraordinária mesmo”, explicou.

Leia também: Record contesta acordo entre Fifa e Globo

Ao relatar o que se passou na assembleia, Rubens Lopes disse que houve um pronunciamento de Teixeira aos dirigentes. "Houve um pronunciamento do Ricardo Teixeira, com alguns esclarecimentos para os presidentes de federação, e análise e discussão da adequação do estatuto em função de algumas propostas que a presidência apresentou. Isso foi discutido e votado dentro da maior tranquilidade".

 

Ricardo Teixeira e Ronaldo em evento da Copa de 2014

Foto: Getty Images

 


Continue lendo...

veja também