MENU

Richarlyson vê time exposto e diz: 'Os atacantes também precisam ajudar'

Richarlyson vê time exposto e diz: 'Os atacantes também precisam ajudar'

Atualizado: Terça-feira, 28 Setembro de 2010 as 4:19

Dez pontos atrás da zona da Libertadores, o São Paulo ainda luta para criar uma identidade no Campeonato Brasileiro. O time ganha jogos, ameaça embalar e, na sequência, sofre uma derrota que expõe claramente suas fragilidades. E, para o volante Richarlyson, que é um dos atletas mais antigos do elenco, com 236 partidas disputadas, o que está faltando para o time embalar é encontrar equilíbrio tático. E, para que isso aconteça, o camisa 20 deixou claro: é preciso que os atletas da frente resolvam ajudar na marcação.

- A troca de tática (do 3-5-2 para o 4-4-2) desguarneceu a defesa que era o ponto forte do São Paulo. Para mudar, nossos atacantes precisam ter um pouquinho mais de sabedoria, paciência e entendimento tático. Eles também precisam ajudar em termos defensivos. Fazendo isso, o equilíbrio voltará e ficaremos fortes novamente – analisou o jogador.

Richarlyson explicou que, quando isso aconteceu, o time venceu o Palmeiras por 2 a 0, no clássico realizado no estádio do Pacaembu.

- Precisamos atuar como fizemos contra o Palmeiras. Jogamos com uma equipe muito forte no setor de marcação, que entrou em campo com cinco volantes. As funções do Lucas, do Fernandão e do Jorge Wagner foram muito importantes porque tivemos coesão entre defesa e ataque. É preciso ter dinâmica para saber que eles têm de voltar para ajudar. Não quero aqui pedir que Lucas e Fernandão virem marcadores, mas precisam ser inteligentes e entender que time que vem jogar contra o São Paulo coloca nove homens atrás da bola e só deixa um na frente. Precisamos defender e atacar com bloco – afirmou o jogador.

O técnico Sérgio Baresi seguiu pela mesma linha de raciocínio.

- Contra o Goiás, isso não aconteceu. Levamos três gols e, pelo que foi o jogo, poderíamos até ter levado cinco. Precisamos encontrar esse equilíbrio para que a defesa pare de tomar tantos gols - analisou o treinador.

veja também