MENU

Rivaldo pede conversa com Juvenal e espera cancelar a multa que recebeu

Rivaldo pede conversa com Juvenal e espera cancelar a multa que recebeu

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 9:29

Convicto de que não fez nada de errado ao dizer publicamente que foi humilhado pelo técnico Paulo César Carpegiani a não ser utilizado na derrota para o Avaí por 3 a 1, na última quinta-feira, em Florianópolis, resultado que decretou a eliminação da equipe do Morumbi da Copa do Brasil, o meia Rivaldo vai pedir uma nova conversa com o presidente do clube, Juvenal Juvêncio, para tentar cancelar a multa de 20% aplicada sobre os seus vencimentos. O jogador, por enquanto, seguirá cumprindo o seu contrato normalmente com o time do Morumbi.

Meia luta para ser titular na partida de domingo, contra o Fluminense, no Rio  (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

  - Teve essa conversa de multa, mas vou conversar com o presidente para ver se não sou multado. Eu não concordo, porque não fiz nada, tinha vontade de vencer e não ofendi ninguém Jogador não pode ficar feliz no banco, quero estar sempre participando e jogando. Espero que apareça oportunidade – ressaltou.

Rivaldo acredita que ainda pode ser muito útil ao time do São Paulo. Apesar de estar com 39 anos, o camisa 10 acredita que compensa o ritmo mais lento com a facilidade para dar passes e lançamentos precisos. Mas, na conversa que teve com o técnico Paulo César Carpegiani na segunda-feira, o jogador deixou claro: quer ser escalado pelos seus méritos e não por pressões externas.

- Em todos os clubes tem que ter mescla de jogadores. No momento decisivo, o experiente corta caminho. Mas disse ao Carpegiani que não aceito jogar por pressão de alguém. Quero jogar pelos meus méritos nos treinamentos e nos jogos. Não quero jogar no São Paulo pela história da minha carreira e sim porque mereço – ressaltou.

Rivaldo diz que ganhou novo gás para trabalhar principalmente porque escutou do goleiro Rogério Ceni que sua contratação havia sido autorizada por Carpegiani e pelo presidente Juvenal Juvêncio. Até então, o meia achava que havia chegado ao Tricolor apenas pela força que o camisa 1 tem dentro do grupo.

- O próprio Rogério falou com o grupo e disse que me chamou, mas com autorização do presidente e do treinador. Isso indica que o treinador conta comigo. Eu não sabia, pensava que fosse mais pelo Rogério. O importante é que sigo tranquilo e com muita vontade de trabalhar – lembrou.          

veja também