MENU

Rivalidade entre paulistas acirra a disputa dos atacantes no Armandão

Rivalidade entre paulistas acirra a disputa dos atacantes no Armandão

Atualizado: Sexta-feira, 12 Novembro de 2010 as 12:26

A disputa do Troféu Armando Nogueira reserva duelos interessantes em todas as posições, na busca por vagas na seleção do campeonato. No entanto, a quatro rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, nenhum setor tem briga tão intensa e acirrada quanto o ataque. Quatro ótimos jogadores lutam por dois postos no time ideal do Brasileirão. A rivalidade é imensa, pois eles jogam nos quatro grandes clubes paulistas.

Na ordem, os líderes entre os atacantes são Jorge Henrique (Corinthians), Neymar (Santos), Ricardo Oliveira (São Paulo) e Kleber (Palmeiras). Nomes como Jobson, do Botafogo, e Roberto, do Avaí, que eram figurinhas fáceis na primeira metade do campeonato, ficaram para trás após arrancada fulminante do quarteto. Hoje, primeiro e quarto colocados estão separados por apenas 0,13 ponto.

Líder, com média 6,35, Jorge Henrique foi "beneficiado" por uma lesão que o tirou de ação nos últimos oito jogos do Corinthians na competição. Motorzinho do time desde a era Mano Menezes, ele apresentou a maior regularidade entre os postulantes a um lugar na seleção do campeonato. Sempre esteve entre os cinco melhores da posição, fato que lhe dá ainda mais credenciais para ser um dos escolhidos.

A maior nota do corintiano foi um 8,5 no clássico contra o São Paulo, vitória por 3 a 0 no primeiro turno. Contra o Cruzeiro, neste sábado, a tendência é que ele volte à equipe. Só depende dele próprio pavimentar o caminho rumo ao título simbólico de melhor atacante do Brasileirão.

Neymar é quem teve a arrancada mais impressionante. Depois de um início discreto, no qual o Santos ainda dividia atenções com a Copa do Brasil, o garoto começou a mostrar seu verdadeiro futebol no Brasileiro e obteve uma nota alta atrás da outra. Desbancou todo mundo e cavou seu lugar na seleção do campeonato com média 6,25. Suas melhores apresentações foram no segundo turno, incluindo a atuação de gala na goleada por 4 a 1 sobre o Cruzeiro, que deu ao santista sua maior nota no campeonato: um 8. Hoje, ele é o vice-artilheiro da competição, com 13 gols.

Outro que arrancou bem na competição foi Ricardo Oliveira, que jogou pouco, mas bem. Em 15 partidas, o atacante tricolor obteve várias notas altas que lhe dão a atual média de 6,23. Normalmente decisivo, já marcou sete gols no campeonato. Três deles foram no jogo que lhe rendeu a maior nota: diante do lanterninha Grêmio Prudente, Ricardo não perdoou e fez todos os gols do São Paulo na vitória por 3 a 2. No fim, foi premiado com uma nota 9, a maior entre todo o quarteto.

Com um centésimo a menos na classificação, aparece Kleber. O palmeirense, que iniciou o campeonato pelo Cruzeiro, também vai bem na artilharia - fez dez gols. Ele se reveza com Neymar e Ricardo Oliveira na companhia de Jorge Henrique, mas vem bem há mais tempo do que seus rivais. Mantendo ótima regularidade, não recebe tantas notas expressivas, mas também não costuma ir mal. Assim, na média, ele chegou a atual pontuação de 6,22. Curiosamente, sua maior avaliação foi logo na estreia, ainda com a camisa cruzeirense: nota 8 na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional.

A quatro jogos do fim, a disputa está bem indefinida. Nas três últimas rodadas, Kleber, Ricardo Oliveira e Neymar trocaram de posição na tabela dos melhores. Hoje, o santista leva vantagem. Mas. com uma concorrência de tamanha qualidade, é bom esperar até o fim para comemorar.

veja também