MENU

Robinho se nega a pedir desculpas a Luxemburgo

Robinho se nega a pedir desculpas a Luxemburgo

Atualizado: Sexta-feira, 7 Maio de 2010 as 8:39

Um dia depois do reencontro com Vanderlei Luxemburgo na vitória do Santos por 3 a 1 sobre o Atlético-MG, o atacante Robinho disse não ver motivo para pedir desculpas ao treinador por ter comandado um coro citando o nome do técnico na festa do título paulista. E insinuou que Luxemburgo "apelou" em suas reclamações "porque está fora da mídia".

- O Vanderlei interpretou mal uma brincadeira nossa. Mas não tenho que pedir desculpas não. Se alguém tem que pedir desculpas é ele. Mas não quero entrar em polêmica. Eu estou conseguindo os meus objetivos, me classifiquei para a próxima fase e não tenho que pensar em polêmica - disse em entrevista coletiva.

- Se ele ficou irritado, problema dele - acrescentou o atacante.

Na noite do último domingo, em palco montado no gramado da Vila Belmiro, o Robinho iniciou um coro provocando o seu ex-treinador no Santos: "Ô Vanderlei, pode esperar, a sua hora vai chegar".

Após o duelo de quarta na Vila, o técnico do Galo chegou a classificar a atitude do jogador como uma "molecagem". E disse que defendeu o jogador de um bandido e que o apoiou durante o sequestro de sua mãe em 2004. Luxemburgo afirmou ainda que nunca mais voltará a trabalhar no Santos por ter sido hostilizado por torcedores na última quarta-feira, durante o confronto entre o Peixe e o Atlético-MG.

Robinho se disse surpreso com a forma que o treinador reagiu.

- Me surpreendeu a maneira como o Vanderlei recebeu isso. Não sei por que ele ficou bravo. Não era para tanto. Disse que incitamos a violência, mas não é nada disso. A torcida do Santos sempre vai vaiar os treinadores do time adversário. Isso é normal. Quando eu jogar contra o Corinthians, os torcedores deles também não vão me aplaudir. Vão me vaiar. Fora de campo é diferente.

- O Vanderlei apelou tanto que nem vi nada (das entrevistas). Não sei se ele está chateado porque está fora da mídia, mas ele apelou de uma maneira desnecessária. Futebol não é para isso. Ele conhece o Neymar, me conhece há muito tempo. Falamos uma coisa em tom de brincadeira, sem subestimar ninguém. O time do Atlético é muito grande, tem jogadores que foram campeões do mundo, como Júnior, Ricardinho. A gente nunca vai subestimar um adversário e ainda mais incitar a violência.

Robinho, que foi campeão brasileiro pelo Santos sob o comando de Luxemburgo em 2004, disse que não se negaria a voltar a trabalhar com o técnico.

- (Rindo) Para mim não tem problema nenhum (voltar a trabalhar com ele). Se ele me respeitar, eu sou jogador, ele é treinador. Mas com certeza vou tirar sarro dele porque perdeu para o meu time - finalizou.

veja também