MENU

Rodrigo Caio e Henrique Miranda: os próximos do 'forno' da base tricolor

Rodrigo Caio e Henrique Miranda: os próximos do 'forno' da base tricolor

Atualizado: Quinta-feira, 26 Maio de 2011 as 2:12

O São Paulo versão 2011 resolveu mudar sua cara. Sai de campo a equipe recheada de atletas experientes, com altos salários e que não deram o retorno esperado e entram em ação os garotos vindos da base do CT de Cotia. Cada vez mais o clube dá claros sinais de que a mescla ainda é importante, mas é a molecada que precisa ser prioridade. Uma amostra disso foi dada em maio. Em apenas um mês, o clube rescindiu com o atacante Fernandão (33 anos), com o lateral-esquerdo Junior Cesar (29) e emprestou o volante Cleber Santana (29). Além da diminuição na média de idade, isso representa uma economia de R$ 420 mil mensais, valor total de salários que era pago ao trio.

Rodrigo Caio e Henrique Miranda já esperam uma chance na equipe comandada por Paulo César Carpegiani que, cada vez mais, dá espaço aos jovens da base (Foto: Marcelo Prado / GLOBOESPORTE.COM)

  Na partida sobre o Fluminense, no último domingo, em São Januário, na estreia do Campeonato Brasileiro, a molecada marcou presença. Do time que venceu por 2 a 0, seis atletas vieram do CT de Cotia, criado em 2005 para revelar peças para o time profissional: Jean (lateral-direito), Bruno Uvini e Luiz Eduardo (zagueiros), Wellington e Casemiro (volantes) e Lucas (meia). E outros dois já “saíram do forno”.

O volante Rodrigo Caio, de 17 anos, e o lateral-esquerdo Henrique Miranda, que acabou de completar 18, chamaram a atenção do técnico Paulo César Carpegiani durante a Copa São Paulo de juniores, realizada no mês de janeiro. O treinador já encheu os garotos de elogios e só espera a melhor oportunidade para lançá-los no time de cima.

- Acho o Rodrigo Caio um jogador excelente. Não tive a oportunidade de usar ainda, mas é um menino que tenho uma esperança. Um dia será titular do São Paulo, não tenho a menor dúvida. Do mesmo jeito está o outro garoto, o Miranda – afirmou o treinador, em uma de suas entrevistas coletivas.

Dupla sonha em fazer história no Tricolor (Foto: Marcelo Prado / GLOBOESPORTE.COM)

  Dos dois, Rodrigo é o que mostra mais personalidade. Com a fala mais firme, ele reconhece que a concorrência no meio-campo é muito forte, mas sabe que, com persistência e muita disposição nos treinamentos, sua chance pode chegar.

- Quando você é garoto e consegue chegar no time reserva, já é o primeiro passo para mostrar serviço para o treinador. Estou com a cabeça boa, ganhando confiança a cada treino porque sei que uma hora a chance vai chegar. A concorrência é forte, mas confio no meu potencial – afirmou.

Rodrigo diz que o que também facilita para a chegada de tantos garotos na equipe principal é a mudança de filosofia da diretoria são-paulina, que antes buscava os títulos das competições na categorias de base e hoje privilegia o surgimento de novos talentos.

- É claro que todos querem ganhar títulos. Mas o São Paulo de hoje mostra que não é isso que será determinante para um garoto chegar ao time de cima. Mesmo que o grupo não seja campeão, todos podem ter uma oportunidade e isso dá ânimo para um trabalho muito forte –lembrou o meio-campista, que tem contrato com o clube até 2016.

Reserva imediato de Juan, Henrique Miranda é mais tímido, mas se diz preparado para jogar caso Paulo César Carpegiani necessite.

- Estou trabalhando forte, mostrando que estou querendo jogar. Fico ansioso porque sei que posso ter uma chance no futuro. O segredo é se preparar bem porque tenho que corresponder quando a oportunidade chegar – lembrou o lateral, cujo vínculo vencerá em 2013.

veja também