MENU

Romário vê Ganso com mais chances de ir à Copa que Neymar

Romário vê Ganso com mais chances de ir à Copa que Neymar

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Romário não está em campanha para convencer o técnico Dunga, seu amigo pessoal, a levar os santistas Neymar e Ganso para a Copa do Mundo. Pelo contrário, o Baixinho - que já foi, ele próprio, pivô do apelo generalizado pela convocação para o Mundial - cobra compreensão à posição do treinador e chega ao ponto de questionar se os jovens talentos do Peixe estão preparados para disputar uma competição de grandes proporções como a Copa. Dito isso, em entrevista ao programa "Bem, Amigos!", do SporTV, nesta segunda-feira, o ex-jogador disse ver nos recentes problemas físicos de Kaká uma esperança para o camisa 10 da Vila Belmiro.

- O Ganso é um jogador que pode fazer o papel do Kaká, que, infelizmente, não está 100%. Se o Dunga tiver que pensar em um nome novo, seria ele. Para os outros, acho que ficará para a próxima vez – avaliou.

Romário, que revelou que, como torcedor, gostaria de ver a jovem dupla santista em ação com a camisa canarinho, fez questão de destacar o apoio incondicional a Dunga, para quem não poupou elogios.

- A cabeça do treinador é diferente da nossa. Ele é um cara coerente, inteligente e muito justo. Com ele, perdoem a expressão, não tem sacanagem. Se ele levar o Neymar, o Ganso, o Ronaldinho Gaúcho, vai ser bom, mas, se não levar, eu vou ser a favor do Dunga porque ele sabe o que está fazendo.

Perguntado como Neymar e Ganso se comparam à sua famosa parceria com Bebeto, o atual dirigente do América foi categórico.

- Eles podem até ser mais técnicos, mas, no geral, a nossa dupla era mais completa. Nos conhecíamos melhor em relação ao posicionamento e, o mais importante, onde nós jogamos, sempre fomos os responáveis pelos gols e pelos resultados positivos. Para serem vistos como uma grande dupla, precisam vestir a camisa da seleção.

Ainda sobre a Copa de 94, Romário acredita que a campanha marcou o capitão do tetra, que levará o aprendizado para a África do Sul.

- Nós não vamos ver uma seleção-espetáculo, mas vai ver um time muito determinado. Posso falar pelo exemplo da geração de 94, que não é muito bem aceita, não sei por quê.

Além de falar sobre o passado e o presente da seleção brasileira, Romário lembrou de alguns dos principais momentos de sua carreira nos clubes por que passou. Para o jogador, a vitória de virada do Vasco sobre o Palmeiras na final da Copa Mercosul de 2000, por 4 a 3, foi uma das maiores reações do futebol mundial.

- Foi especial para todos que faziam parte daquele grupo. Foi histórico. Uma das grandes viradas do futebol mundial. No intervalo, um jogador do Palmeiras falou: “Essa você perdeu, Baixinho”. E eu respondi: “Calma garoto, só acaba quando termina” - revelou.

Sobre a situação de outro clube cuja camisa defendeu, o Flamengo, Romário foi cuidadoso ao falar de Adriano, que, em sua opinião, estaria com a vaga na Copa do Mundo ameaçada.

- O Adriano deve estar com algum problema que está levando para dentro de campo. Mas é um jogador muito querido pelo grupo e, com tudo isso, se você perguntar para os outros jogadores, todos querem que ele fique no time. Sei que nunca fui exemplo nos meus tempos de jogador, mas, se eu pudesse dizer algo para ele, seria para focar mais na profissão dele. Hoje, o Adriano está praticamente fora da Copa.

veja também