MENU

Ronaldinho marca, e Negueba dá vitória suada ao Fla sobre o Boavista

Ronaldinho marca, e Negueba dá vitória suada ao Fla sobre o Boavista

Atualizado: Domingo, 6 Fevereiro de 2011 as 10:15

Todos os olhos sobre Ronaldinho. Bola na marca do pênalti, clima de expectativa. Seis passos rápidos até o chute colocado, goleiro batido e um sorriso largo na comemoração. Teve sambadinha também. Neste domingo, no estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, pela sexta rodada do Grupo A da Taça Guanabara, o camisa 10 fez o primeiro gol com a camisa do Flamengo. Jogou bem no primeiro tempo, mas, assim como na estreia, contou com a ajuda de um outro herói. Saído do banco de reservas. Depois de Wanderley, Guilherme Negueba ajudou a conduzir o Fla à sexta vitória em seis rodadas. Em jogada de raça do volante Willians, o garoto decidiu contra um persistente Boavista, marcando seu primeiro gol pelo time profissional. O placar de 3 a 2 mantém o time de Vanderlei Luxemburgo com 100% de aproveitamento, confirma a classificação para as semifinais, com 18 pontos, e o primeiro lugar da chave. Em quarto, o time de Saquarema tem dez pontos e ainda alimenta chances de avançar.

No próximo domingo, o Flamengo enfrenta o Resende, pela última rodada classificatória, às 17h (de Brasília). A partida está marcada para Volta Redonda, mas pode ser transferida para Macaé. No mesmo horário, o Boavista vai visitar o Nova Iguaçu, no Laranjão.

Começa a dar samba: gol de Ronaldinho

O rubro-negro esfrega os olhos uma, duas, três vezes, e ainda assim custa a acreditar. É Ronaldinho Gaúcho mesmo. No primeiro jogo do camisa 10 do Flamengo fora do Rio, o carinho da estreia, quarta-feira passada, se repetiu. Na entrada em campo, o craque se viu cercado por muitas crianças. Teve dificuldades até para erguer os braços e cumprimentar os torcedores.

Em Macaé, cada toque na bola do astro foi motivo de alvoroço. Ronaldinho começou a partida disposto, faminto nas disputas de bola, orientando os companheiros. Não guardou posição, como determinou o técnico Vanderlei Luxemburgo. O novo capitão até apareceu pela ponta esquerda, onde sempre fica à vontade. Mas durante a maior parte do tempo foi atacante ao lado de Deivid. Buscou sempre jogar de primeira, mas errou alguns passes.

Apesar do domínio, o Fla criou pouco. Ora pela direita, ora pela esquerda, apostou nos cruzamentos para a área. Maldonado, rasteiro, e Renato, pelo alto, arriscaram chutes de média distância. Da primeira vez que foi ameaçado, por pouco não sofreu o gol. Aos 13, André Luis puxou contra-ataque em velocidade, deixou os marcadores para trás e passou a Frontini. Na cara do gol, o argentino tentou vencer Felipe, mas sem sucesso.

Thiago Neves também fez das suas. A principal delas foi um lindo lançamento, de pouco depois do círculo central. O camisa 7 mirou Deivid, o atacante tentou passar pelo goleiro Thiago na área e acabou derrubado. O árbitro marcou pênalti. Era o sinal para a histeria começar no Moacyrzão. De posse da bola, Ronaldinho dirigiu-se à marca do pênalti sob gritos eufóricos dos fãs. Antes, um abraço de boa sorte de Thiago Neves. Seis passos, batida colocada, bola para um lado, goleiro para o outro, aos 23. Dois socos no ar e sambadinha na comemoração. O craque não marcava um gol desde 23 de novembro. Na ocasião, fez o segundo do Milan na vitória por 2 a 0 sobre Auxerre (França), pela Liga dos Campeões.

Pouco depois, teve nova chance em cobrança de falta, mas parou no goleiro. Paulo Rodrigues, no mesmo estilo, tentou para o time de Saquarema, mas Felipe fez boa defesa.

- Inesquecível. Sabor de primeira etapa cumprida, que era começar assim - disse Ronaldinho, na saída para o intervalo.

Fla amplia, cochila, mas vence no fim

O Fla voltou com Fernando no lugar de Maldonado no meio-campo. Voltou com vontade de decidir e não demorou quase nada para ampliar a vantagem. Em mais um bom avanço pela direita, Léo Moura fez grande jogada. Depois de deixar um marcador para trás, foi à linha de fundo e cruzou na segunda trave. Na pequena área, Deivid completou de cabeça para o gol, aos quatro. O atacante, vaiado contra o Nova Iguaçu, foi abraçado por todos os companheiros. Terceiro dele no Carioca.

A ideia de que seria um segundo tempo fácil caiu em apenas dois minutos. Joílson cruzou da direita, Leandro Chaves desviou no meio do caminho, e Frontini bateu de primeira, no contrapé de Felipe, para diminuir.

Diminuiu também o ritmo de Ronaldinho. Apesar de demonstrar muita vontade, o craque andou sumido em alguns momentos. Distribuiu bons passes, levantou a torcida como sempre, mas sem brilho. Na metade da etapa final, pareceu ter sentido o desgaste. Numa disputa de bola, chegou atrasado e fez falta dura em Roberto Lopes. Mais uma novidade para o camisa 10: o primeiro cartão amarelo como jogador do Rubro-Negro.

O Fla pagou por ter diminuído o ritmo. Aos 36, Welinton errou um passe para Jean e entregou para Frontini. O chute da intermediária desviou no próprio Jean e enganou Felipe, que chegou a tocar na bola, mas não evitou o empate: 2 a 2.

Se Wanderley brilhou na estreia de Ronaldinho, um outro reserva foi responsável pela vitória no dia do primeiro gol do astro. Aos 41, Willians invadiu a área como se fosse um meia, superou o marcador na base da raça e cruzou para o garoto Negueba. Bastou um toque na bola para um dos campeões da Copa São Paulo de Juniores fazer o terceiro, assegurar a classificação do Fla e o primeiro lugar no grupo. Nos acréscimos, uma falta cobrada por Tony no travessão de Felipe quase resultou em nova igualdade. Mas os rubro-negros puderam mais uma vez comemorar uma vitória na Taça Guanabara 2011.

Outros jogos do domingo pelo Carioca:

Vasco 3 x 0 Americano

Fluminense 2 x 3 Botafogo

Duque de Caxias 4 x 2 Olaria

Volta Redonda 2 x 0 América

Por: Richard Souza

veja também