MENU

Roth na corda bamba: cinco questões que balançaram o técnico

Roth na corda bamba: cinco questões que balançaram o técnico

Atualizado: Quarta-feira, 15 Dezembro de 2010 as 2:49

A convicção da diretoria do Inter sobre a permanência de Celso Roth foi pelo ralo depois da derrota de 2 a 0 para o Mazembe. O protagonismo do treinador em uma das maiores tragédias da história do clube balançou o planejamento vermelho para 2011. E o técnico corre sério risco de não ter o contrato renovado.

A diretoria analisa a situação. Há quem se mostre favorável à permanência dele, há quem já se pronuncie contrário, há quem prefira parar por um tempo e pensar na situação. Em todo o diálogo, há alguns pontos, levados em conta pelo clube, que pesam contra a permanência do técnico.

Indefinição no esquema de jogo

Causou muita irritação no Inter a indefinição sobre o esquema de jogo para o Mundial. Pelo mesmo motivo, Jorge Fossati foi demitido antes das semifinais da Libertadores. Celso Roth passou quase toda a semana em Abu Dhabi treinando o time no 4-4-2. Quando chegou a partida, escalou a equipe no 4-5-1. Não deu certo, como não vinha dando desde que saíram Sandro e Taison. Mesmo com peças diferentes, o técnico insistiu na estratégia. Rafael Sobis acabou sacrificado como meia. E Alecsandro perdeu parceria na frente.

Erros e timidez nas substituições

Houve críticas também às substituições de Roth contra o Mazembe. As duas primeiras foram trocas simples, o chamado seis por meia dúzia: meio-campista por meio-campista, centroavante por centroavante. Saíram Tinga e Alecsandro, entraram Giuliano e Leandro Damião. Mas a mudança mais criticada foi a última, quando Rafael Sobis, o jogador mais ativo do Inter na partida, deu lugar a Oscar.

Desgaste com o grupo

Celso Roth, historicamente, é um treinador que desgasta seus elencos, tamanha a cobrança que impõe nos treinamentos. Já há jogadores que manifestam, nos bastidores do clube, cansaço com o estilo sisudo do treinador. A diretoria teme que a situação possa desmobilizar o trabalho vermelho na largada de 2011.

Elaboração da lista

A lista do Inter para o Mundial teve o aval da diretoria. Mas causou insatisfação mesmo assim. Apenas três jogadores de ataque foram levados a Abu Dhabi. Na parte final do jogo contra o Mazembe, com a entrada de Leandro Damião, faltaram novas opções entre os atacantes. A visão de Roth de que Oscar é jogador de frente não é totalmente compartilhada pela cúpula do clube.

Contrato encerrado

A decisão da diretoria de encerrar o ciclo de Celso Roth, se acontecer, não terá empecilhos burocráticos. O contrato dele termina em 31 de dezembro. Basta não renovar. Não há custos com multas rescisórias.    

veja também