MENU

Ruim para os dois, empate frustra Guarani e Botafogo no Brasileirão

Ruim para os dois, empate frustra Guarani e Botafogo no Brasileirão

Atualizado: Quinta-feira, 7 Outubro de 2010 as 8:24

O empate em 1 a 1 foi justo, mas não serviu para ninguém. Guarani e Botafogo fizeram um jogo nada empolgante na noite desta quarta-feira, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. E o que segue nada empolgante também são os ânimos de bugrinos e alvinegros. Ambos com jejum de vitória.

A equipe campineira, agora com 34 pontos, na 13ª colocação, soma três rodadas sem um triunfo. Pior ainda é a situação do Botafogo, que vinha forte na briga para permanecer no G-3 do Nacional. Com o empate desta noite, o time comandado por Joel Santana chega a sete partidas sem vencer (uma derrota e seis empates). O Fogão é o sexto, com 43.

O Botafogo segue sem nenhuma derrota para times paulistas, da mesma maneira que o Guarani continua invicto diante de equipes cariocas. O Bugre ainda enfrenta Flamengo e Fluminense, fora de casa, e o Botafogo fecha o seu ciclo contra o Grêmio Prudente.   O retorno de ambas as equipes a campo será no próximo domingo, pela 29ª rodada. O Guarani desta vez joga fora de casa, contra o Ceará, em Fortaleza, às 18h30m (de Brasília). No Rio de Janeiro, às 16h, o Botafogo recebe o Palmeiras, no Engenhão.

Cabeças que salvam

Para tentar fazer valer o seu bom desempenho como mandante, o Guarani partiu para cima do Botafogo desde o primeiro minuto. Nada muito intenso, mas o suficiente para tirar os espaços do rival. Apesar da iniciativa campineira, as chances de gol eram escassas. Até por isso, em algumas oportunidades a bola ia de um lado para o outro, sem objetividade.

Diante da postura tomada pelo Bugre, o Fogão demorou a se achar em campo. Errou passes e se mostrou desorganizado em campo. Quando teve mais posse de bola, os cariocas optaram pelas bolas alçadas na área. Sem sucesso. A zaga adversária levava a melhor em todas, e o goleiro Douglas não tinha trabalho algum.   Do outro lado, Renan, que havia salvado chute perigoso de Márcio Careca aos dois minutos, não conseguiu impedir o gol do Guarani, aos 26 minutos. Logo depois de o técnico Vagner Mancini reclamar de displicência dos seus comandados, Reinaldo recebeu na esquerda da grande área e fez cruzamento certeiro para Diego Barboza, que se aproveitou da marcação frouxa de Danny Moraes, fazer de cabeça.

Insatisfeito, Joel Santana fez uma alteração. Sacou Túlio Souza e escalou Edno. Somália, então, foi deslocado para a lateral direita. Edno, caindo pela esquerda, não resolveu muito, mas lá no meio da área teve quem achasse solução. E o nome dele é Loco Abreu. Aos 45, após cruzamento de Herrera da direita, o uruguaio empatou o jogo para o Botafogo (veja no vídeo acima).

Botafogo para na trave No retorno para o segundo tempo, o técnico do Guarani, Vagner Mancini, lamentou o vacilo da sua equipe no finzinho da etapa inicial. Especialmente porque ele tinha avisado sobre os perigos de Loco Abreu na bola aérea. Não à toa, a marcação sobre o sistema ofensivo do alvinegro de General Severiano aumentou.

Até por essa preocupação mais defensiva do Bugre, o jogo ficou truncado demais. Aos poucos, porém, o Botafogo passou a controlar mais as ações e explorar as jogadas pelas pontas. Mas ainda faltava melhorar a finalização. Ou melhor, criar jogadas que permitissem aos atacantes dar trabalho ao goleiro adversário.

Apesar do melhor momento dos cariocas, o Guarani por muito pouco não reeditou o gol do primeiro tempo. Aos 14 minutos, Reinaldo recebeu bom passe na área, desta vez na direita, e cruzou para Barboza cabecear. A bola raspou o travessão. A resposta carioca foi rápida, e não fosse o goleiro Douglas, Herrera teria colocado o Fogão em vantagem. O camisa 17, no entanto, poderia ter rolado a bola para Loco Abreu, que entrava livre pela direita. Logo depois, aos 19, o argentino sentiu o ombro esquerdo em disputa com o goleiro, e deu lugar a Caio.   Foi dele, aliás, a melhor chance do Fogão no segundo tempo até então. Aos 28 minutos, ele entrou bem na área, após ótimo passe de Loco Abreu, cortou um marcador e chutou rasteiro, acertando a trave (veja no vídeo acima). O lance animou o time visitante, que não desistiu. O Bota tentou com Loco Abreu, com Edno, com Caio de novo...  E o Bugre apostou  nas faltas de Baiano. Mas o placar seguiu no 1 a 1. Ruim para todos.     Postado por: Guilherme Pilão

veja também