MENU

São Paulo de Olivença é campeão da I Copa Indígena de Futebol

São Paulo de Olivença é campeão da I Copa Indígena de Futebol

Atualizado: Segunda-feira, 7 Dezembro de 2009 as 12

O time São Paulo de Olivença conquistou o título de campeão da 1ª Copa Indígena de Futebol do Amazonas, neste domingo (6). A final foi disputada contra o Autazes e terminou com o placar de 1 a 0, gol marcado pelo atacante Evanir, logo aos 7 min do 1º tempo, no Estádio Vivaldo Lima,  o Vivaldão, em Manaus.

O jogo também marcou o encerramento do Fórum Amazonas Indígena (Forind) e fechou as atividades oficiais do Vivaldão, antes de ser demolido para a construção de uma nova arena para a Copa do Mundo de 2014.

Evanir será conhecido como o último jogador a marcar gol no estádio Vivaldão, que não abrigará mais jogos de futebol. Estudante do ensino médio e produtor rural, ele dedicou a façanha aos companheiros de time. ''O grupo merece essa vitória. Minha família também'', disse.

Time do São Paulo de Olivença. Em pé, da esquerda para a direita: Juracyr Mafra (técnico), Lupe (auxiliar-técnico), Dario, Valdimar, Washington, Renan, Francisco, José Nonato, Nequinho, Wagner e Sílvio. Agachados: Evanir, Anivaldo, Renato, Nailson, Jhonderson, Oleís e Luís Felipe (Foto: Divulgação/Seind)  

No jogo preliminar, o time do Barreirinha goleou o Benjamin Constant por 10 a 3 e ficou com a terceira colocação. Apesar da derrota, o goleiro Alberney Mura, do Autazes, foi o menos vazado da competição, em seis partidas disputadas. Ele sofreu apenas um gol, o da partida final.

A Copa Indígena de Futebol contou com a participação de dez seleções, representando 25 povos amazonenses. As outras seis equipes que estiveram no torneio foram Manaus, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Iranduba, Borba e Nhamundá.

O artilheiro da Copa Indígena de Futebol foi o atacante César Silva, do Barreirinha, com sete gols.

Os jogadores receberam R$ 2 mil de premiação. Os atletas que ficaram com a segunda colocação vão receber R$ 1 mil. ''Foram precisos 40 anos para que um governo reconhecesse que os indígenas também deram sua colaboração para o futebol'', disse o secretário da Seind, Jecinaldo Sateré-Mawé.

Imagem: G1

veja também