São Silvestre 2011: Etiópia ganha no masculino e o Quênia no feminino

São Silvestre 2011: Etiópia ganha no masculino e o Quênia no feminino

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:17

Os africanos dominaram a 87ª Corrida Internacional de São Silvestre, disputada sob muita chuva neste sábado à tarde, em São Paulo. O etíope Tariku Bekele e a queniana Priscah Jeptoo encararam bem o novo percurso de 15 km e venceram a prova, que contou com o número recorde de 25.000 inscritos. A largada foi dada em frente ao MASP, na Avenida Paulista, e a chegada ocorreu perto do Obelisco do Ibirapuera.

Os brasileiros ficaram fora do pódio. O alagoano Damião Ancelmo de Souza e a piauiense Cruz Nonata da Silva foram os brasileiros mais bem colocados na corrida. Damião chegou em 7º lugar – uma posição à frente do tricampeão Marilson Gomes dos Santos – e Cruz Nonata, que havia terminado na 4ª colocação no ano passado, foi a 6ª neste ano. A São Silvestre fechou o Ranking CAIXA/CBAt de Corredores de Rua de 2011, que só leva em consideração os atletas nacionais.

A largada da elite feminina, dada às 17:10, sob uma leve garoa e 27 graus de temperatura, reuniu 53 atletas de 10 países (Brasil, Bolívia, Paraguai, Peru, Uruguai, Etiópia, Marrocos, Quênia, Tanzânia e Itália). A campeã Priscah e a etíope Yimer Wude Ayalew fizeram um duelo particular na maior parte do percurso. No final da prova, já na Avenida Pedro Álvares Cabral, no Ibirapuera, Priscah resistiu à investida de Yimer, campeã da São Silvestre de 2008, para vencer, com o tempo de 48:48, recorde estabelecido para o novo percurso.

Já a prova masculina começou às 17:26, já com chuva mais forte a partir da Rua Major Nataniel, ainda no início da corrida. Um grupo de dez atletas ficou mais à frente, incluindo os brasileiros Damião e Marilson. No centro velho de São Paulo, porém, Tariku Bekele conseguiu abrir vantagem e soube administrá-la até o final da prova, embora seja especialista em provas de 5.000 m e vá correr os 3.000 m no Mundial Indoor de Istambul, em março, na Turquia. O pelotão de elite teve 104 corredores de 12 países (Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Uruguai, Etiópia, Marrocos, Quênia, Tanzânia e Portugal).

Tariku, de 24 anos, é o irmão mais novo de Kenenisa Bekele, de 29, recordista mundial dos 5.000 m (12:37.35) e dos 10.000 m (26:17.53). Kenenisa é ainda o atual bicampeão olímpico dos 10.000 m e ganhador do ouro e da prata dos 5.000 m em Pequim e em Atenas, pela ordem, em 2008 e 2004.

Esta foi a segunda vitória masculina da Etiópia na competição. A primeira foi em 2001, com Tesfaye Jifar.

“Consegui controlar bem a prova com um ritmo forte a partir do 6º km. Fui confiante mesmo com a chuva. Minha experiência em provas mais rápidas é devido aos treinos fortes para o Mundial Indoor, sempre mais veloz que os de rua”, lembrou Bekele, que tem o irmão famoso como ídolo. “Meu irmão é meu herói. Treinamos juntos na Etiópia. Acredito que ele esteja bastante feliz com meu resultado, que vai motivar ambos para 2012.”

Já Damião lembrou da forte chuva. “Corremos a maior parte do percurso debaixo de uma chuva muito forte, com alguns lugares com poças d’água e infelizmente não deu para conseguiu um lugar entre os cinco primeiros e uma posição no pódio. Fico feliz por ter sido o brasileiro mais bem colocado”, comentou Damião.

Já Marilson, pré-convocado para a maratona da Olimpíada de Londres, sentiu-se desconfortável com a mudança de percurso. “Fiquei um pouco perdido. A prova ficou mais rápida. É um percurso novo, que pega só uma parte do antigo. Tive de fazer muita força para acompanhar o pessoal da frente”, disse o brasiliense.

No feminino, Priscah mostrou-se muito satisfeita. “Estou muito contente, já que a São Silvestre é uma das provas mais importantes do mundo. Ano que vem quero voltar e ganhar o bi, mas espero com menos chuva, já que nunca peguei tanta água”, afirmou Priscah, que foi 7ª colocada em 2008, ano em que Ayalew venceu.

A melhor brasileira nos 15 quilômetros, Cruz Nonata, gostou do percurso e promete voltar mais preparada em 2012. “Nunca tinha corrido na chuva, até mesmo nos treinamentos. Tive coragem, garra e determinação para não desistir. Poderia ter sido melhor, mas consegui no trecho final imprimir um ritmo mais forte”, analisou Cruz.

Ranking CAIXA/CBAt – A Corrida de São Silvestre foi a 23ª e última etapa de 2011 do Ranking CAIXA/CBAt, que definiu os 10 mais bem colocados entre os homens e as mulheres, que serão incluídos no Programa Nacional CAIXA de Apoio a Corredores de Rua de Elite da CBAt de 2012.

A classificação final da 87ª São Silvestre

Masculino

1-Tariku Bekele (Etiópia) – 43:35

2-Mark Korir (Quênia) – 43:58

3-Matthew Kisorio (Quênia) – 44:12

4-Martin Lel (Quênia) – 44:28

5-Najin El Qady (Marrocos) – 44:32)

6-Barnabas Kiplagat Kosgei (Quênia) – 44:45

7-Damião Ancelmo de Souza (Brasil) – 44:53

8-Marilson Gomes dos Santos (Brasil) – 45:06

9-Rui Pedro Sá Alves (Portugal) – 45:45

10-João Ferreira de Lima, o João da Bota (Brasil) – 46:00

Feminino

1-Priscah Jeptoo (Quênia) – 48:48

2-Yimer Wude Ayalew (Etiópia) – 48.52

3-Eunice Kirwa (Quênia) – 50:58

4-Nadia Ejjafini (Itália) – 51:19

5-Rumokol Chepkanan (Quênia) – 51:44

6- Cruz Nonata (Brasil) – 51:59

7-Jackline Juma Sakilu (Tanzânia) – 52:07

8-Adriana Aparecida da Silva (Brasil) – 52:15

9-Sueli Pereira da Silva (Brasil) – 53:32

10-Samira Raif (Marrocos) – 53:40

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições