MENU

Seis anos depois, Tinga admite: bater o Corinthians é uma vingança

Seis anos depois, Tinga admite: bater o Corinthians é uma vingança

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 1:27

Tinga lamenta lance que ajudou na perda do título

de 2005 (Foto: Alexandre Alliatti/Globoesporte.com) Boa parte da esperança colorada caiu junto com Tinga no instante em que o meia foi derrubado por Fábio Costa naquele jogo contra o Corinthians, em 20 de novembro de 2005. Márcio Rezende de Freitas não marcou pênalti. E o Inter, em jogo decisivo na briga pelo título, teve sua indignação aumentada – ela já era grande pela anulação de 11 jogos pelo STJD. Passados seis anos, o jogador não esquece o que aconteceu.

Tinga não dramatiza o lance. Não se trata como uma vítima do futebol. Mas admite que é uma situação ainda pulsante dentro dele. Perguntado se enfrentar o Coritnhians rende um sentimento de vingança, o meia disse que não é bem assim: mas é quase.

- Talvez vingar seja forte. Mas é uma coisa parecida. Temos esse gostinho de jogo especial, de jogo difícil. É um clássico. É um acréscimo no futebol. Antigamente, eram só clássicos regionais. Com certeza, é um jogo especial. Vale os mesmos três pontos. Não definirá nada. Mas tem tudo para ser um grande jogo – disse o jogador.

O que machuca Tinga é não ter conquistado o título. Ele reconhece que aquele virou um dos lances mais emblemáticos de sua carreira.

- Fiquei marcado. Era a oportunidade de ter conquistado o único título que não tenho. Estávamos com uma equipe certa, preparada, com um treinador que hoje é especialista em ganhar o Brasileiro (Muricy Ramalho). A gente tinha tudo para conquistar. Ficamos atrás, fomos buscar, e dentro de campo, por uma falha humana, perdemos a oportunidade de conquistar o título. Quando vejo aquele lance, me vem isso de não ter o título. O torcedor lembra da oportunidade que nos foi tirada de conquistar esse título.

O atleta admite que aquele jogo, em especial aquele lance, pesou no histórico de rivalidade entre Inter e Corinthians. A final da Copa do Brasil de 2009, em que o Inter novamente se sentiu prejudicado, contribuiu.

- Depois de 2005, sempre que tem um jogo contra o Corinthians, especialmente pelo Brasileiro, é mostrado aquele lance. Não foi só ele que transformou esse jogo num clássico. Teve também a final da Copa do Brasil. São duas equipes que estão sempre brigando pelo topo do Brasil e da América. O Corinthians tenta chegar a uma Libertadores, e nós conquistamos. Sempre tem um princípio de final nesse jogo. Estamos em uma reta final de Brasileiro. Tem tudo para ser um jogo especial. Eles estão mais próximos do que nós do objetivo. É um jogo com o qual a gente pode continuar sonhando com o título – afirmou o atleta.

Mas Tinga vê um lado positivo na história. Para ele, aquele momento ajudou a transformar o Inter em um clube muito mais vencedor.

- Aquele foi o ano em que o Inter se transformou na equipe que seria a grande equipe da América. Foi um fator decisivo. Com aquela experiência de buscar os pontos perdidos e ter a situação com o Corinthians, a gente ficou forte para ganhar a Libertadores de 2006, que transformou o clube totalmente. O clube criou uma coragem, viu que podia ter voos maiores. Aquele lance marcou 2005. E pode ter significado isso: a gente ver que o Inter estava pronto.

Inter e Corinthians voltam a se encontrar no domingo. Às 16h, duelam no Beira-Rio. Tinga estará na reserva do time que é sétimo colocado, como 47 pontos, sete atrás do adversário, o líder do campeonato.        

veja também