MENU

Sem acordo com o São Paulo, Dagol sonha jogar na Europa em 2012

Sem acordo com o São Paulo, Dagol sonha jogar na Europa em 2012

Atualizado: Sexta-feira, 23 Setembro de 2011 as 10:19

A menos que ocorra uma reviravolta, Dagoberto deixará o São Paulo em 2012. Sem avanço nas conversas para a renovação de contrato, que termina no dia 19 de abril, o atacante, dependendo de uma conversa com o presidente Juvenal Juvêncio, pode até ser dispensado no fim do ano. O artilheiro do Tricolor em 2011, com 20 gols, garante: seu foco está todo voltado para a reta final do Campeonato Brasileiro. E, se não puder renovar, a vida continua para os dois lados. - Independentemente do que acontecer daqui para a frente, tenho uma história que construí aqui. Cheguei em 2007, tenho contrato de cinco anos, meu vínculo está acabando, e isso é uma coisa absolutamente normal no futebol. Aqui mesmo já aconteceu com outros jogadores como Miranda e Jorge Wagner - lembrou Dagoberto.

- Se não der para renovar, não tem problema. A minha vida vai seguir em outro lugar e a do São Paulo também – emendou o atacante.

Dagoberto em treino no CT da Barra Funda (Foto: João Neto / VIPCOMM)

  Dagoberto já teve seu nome comentado no Internacional. O clube gaúcho chegou a lhe fazer uma oferta salarial. O jogador, no entanto, diz que seu objetivo em 2012 é buscar a sorte na Europa. Recentemente, seu empresário, Marcos Malaquias, afirmou ter recebido sondagens de uma equipe da Alemanha e de outra da Itália.

- Eu tenho o desejo de jogar no exterior, tenho isso em mente. Quando estava no Atlético-PR, tinha objetivo de chegar aqui (ao São Paulo) e consegui. Foi bom, intenso. Agora tenho meu objetivo lá fora. Vamos esperar para ver o que vai acontecer – disse Dagoberto.

Se assinar um pré-contrato com outro clube, o que poderá ser feito a partir do dia 19 de outubro, Dagoberto, que revelou que as negociações com o Tricolor estão estagnadas, já sabe quem será a primeira pessoa a ser avisada.

- Sem dúvida, será o Juvenal (Juvêncio, presidente). Ele é ótimo, sempre foi um cara muito leal comigo. Até onde eu sei, houve uma conversa do Adalberto (Baptista, diretor de futebol) com o meu empresário, mas não houve avanço. Vou continuar jogando com a mesma vontade porque minha cabeça está voltada para o São Paulo e para a disputa do título brasileiro – concluiu.          

veja também