MENU

Sem brilho, Palmeiras vence Flamengo-PI, mas não evita confronto em São Paulo

Sem brilho, Palmeiras vence Flamengo-PI, mas não evita confronto em São Paulo

Atualizado: Quinta-feira, 11 Fevereiro de 2010 as 12

O Palmeiras venceu o Flamengo-PI por 1 a 0 no primeiro jogo da primeira fase da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, dia 10, no lotado estádio Albertão, em Teresina,  mas não conseguiu evitar a segunda partida. Assim, terá mais um compromisso em sua agenda no próximo dia 24, no Palestra Itália. O Verdão joga pelo empate. Se for derrotado por 1 a 0, a vaga será decidida nos pênaltis. Os piauienses se classificam com qualquer vitória por outro placar.

Cansado pela sequência de jogos no início da temporada, o Palmeiras sofreu para conquistar a vitória. O gol, marcado por Diego Souza aos 29 minutos do segundo tempo, só saiu após uma jogada individual de Edinho, que atuou como zagueiro. Cleiton Xavier, o homem responsável pela criação, foi muito bem marcado e quase não apareceu.

O Flamengo-PI celebrou a possibilidade de definir a vaga em São Paulo. Para a diretoria, o duelo no Palestra será importante para que o clube consiga se manter mais tempo na mídia nacional, antes do início do Piauiense, marcado para o próximo dia 28. O experiente Jardel fez sua estreia, foi festejado pelos torcedores, mas só entrou nos minutos finais, sem sequer encostar na bola.

Agora, a delegação palmeirense encara uma viagem de cerca de seis horas até a capital paulista. Na sexta-feira, o time segue para Ribeirão Preto, onde no sábado enfrenta o Botafogo-SP, pelo Estadual.

Campo e futebol ruins

Empurrado pelo entusiasmo da torcida piauiense, o Flamengo começou a partida mais assanhado. Antônio Carlos, principal articulador, assustou Deola aos 16 minutos, quando tentou encobri-lo em cobrança de falta. O substituto de Marcos precisou se esticar todo para evitar o gol.

Mesmo com o gramado mais aparado do que na véspera, quando fez o reconhecimento do estádio, o Palmeiras encontrou muitas dificuldades para tocar a bola. A quantidade de buracos era impressionante. O Flamengo também tentava incomodar apertando a marcação.

Assista aos melhores momentos da partida:

Em um dos poucos momentos em que encontrou uma brecha, Diego Souza lançou Deyvid Sacconi, que chutou cruzado, mas para fora, aos 24 minutos. Pelo lado do Flamengo, Jardel conseguiu roubar a cena por alguns instantes mesmo do lado de fora. O atacante de 36 anos tentava ajudar o técnico Walter Maranhão passando orientações aos companheiros e até mesmo atacando de gandula.

Aos 43, o Palmeiras ainda teve uma boa oportunidade com Cleiton Xavier, que cobrou falta rente à trave de Herivelton.

Diego Souza garante a vitória

Com sete minutos do segundo tempo, a torcida do time de Teresina começou a demonstrar insatisfação. Vendo o atacante Jardel na reserva, os fãs iniciaram os pedidos para a sua entrada. Enquanto isso, Cleiton Xavier cobrava falta na área, e Joniel quase marcava contra, na tentativa de afastar o perigo.

Para tentar melhorar seu poder de ataque, Muricy Ramalho sacou o meia Deyvid Sacconi e colocou Lenny, aos 15 minutos, recuando Diego Souza mais para perto de Cleiton Xavier.

Com seu camisa 10 bem marcado, o Palmeiras se deu bem graças a um lance improvável. O zagueiro Edinho se arriscou na frente e achou uma brecha na defesa. Um bom passe para Diego Souza na área. Com habilidade, o camisa 7 conseguiu se desvencilhar dos marcadores e, quase caindo, venceu o goleiro Herivelton, que viu a bola entrar mansamente, aos 29 minutos.

Com o placar aberto, o time paulista tratou de buscar seu segundo objetivo: evitar a partida de volta. Aos 34, após chute de Cleiton Xavier e desvio de cabeça de Danilo, Herivelton fez bela defesa e mandou para escanteio. Em seguida, o meia recebeu de Márcio Araújo e bateu cruzado, assustando a torcida local.

Aos 43, Danilo ainda teve a chance de marcar, depois de bola levantada na área, mas o goleiro Herivelton conseguiu segurar o 1 a 0. Ainda houve tempo para Jardel, chamariz do time piauiense, entrar em campo, para delírio dos torcedores. E só.

Por: Julyana Travaglia

veja também