MENU

Sem Falcão, Inter encerra sequência ruim e vence o Avaí de virada

Sem Falcão, Inter encerra sequência ruim e vence o Avaí de virada

Atualizado: Sexta-feira, 22 Julho de 2011 as 8

De virada, encerrando um jejum de seis horas sem marcar nenhum gol - e de três derrotas consecutivas - o Inter venceu o Avaí por 3 a 1, nesta noite de quinta-feira. A partida, disputada no Estádio da Ressacada, abriu a 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. William fez o gol dos avaianos, mas Andrezinho, Leandro Damião e D'Alessandro marcaram para os colorados, no primeiro jogo desde a dispensa do técnico Paulo Roberto Falcão.

Com doze jogos disputados, o Inter chega a 18 pontos, subindo para o 5º lugar. O Avaí permanece com apenas 7, na zona de rebaixamento - na 18ª colocação. Agora, o Inter parte para a Alemanha. A viagem inicia neste sábado. Na Europa, disputará a Audi Cup, enfrentando o Barcelona terça-feira.

Pelo Brasileirão, os colorados voltam a jogar no outro domingo, 31 de julho, contra o Atlético-GO, no Estádio Beira-Rio. Para o Avaí, o próximo jogo acontece na quinta-feira, dia 27, visitando o Botafogo no Rio de Janeiro.     Inter virou o jogo e bateu o Avaí por 3 a 1, na Ressacada (Foto: Ag. Estado)   Emaranhado

Sem Falcão, o interino Osmar Loss modificou a estrutura tática do Inter. Em vez do 4-4-1-1, elaborou o 4-4-2 com meio-campo reproduzindo o desenho de um losango. Mas se viu obrigado, em poucos minutos, a recuperar a antiga formação - Zé Roberto sentiu dores no púbis, uma lesão recorrente, e deu lugar a Fabrício, que remontou as duas linhas de quatro jogadores.

Já o Avaí confirmou o anunciado 3-6-1, com William no ataque, e predileção pelas jogadas aéreas - principalmente nas cobranças de faltas laterais e escanteios. Intenções bloqueadas pelas boas saídas do goleiro Muriel.

Com garoa fina intermitente, sucessiva à chuva forte da tarde, o gramado se mostrou escorregadio, aumentando o índice de faltas, trombadas e divididas confusas. Emaranhados, os jogadores formavam pequenos grupos de combatentes em regiões reduzidas do campo, roubando a bola e perdendo em seguida, para recuperar e devolver novamente, sem nenhuma plasticidade.

Nos acréscimos, William e o árbitro Felipe Gomes da Silva protagonizaram cena que resume bem os acontecimentos cômicos do primeiro tempo: o centroavante do Avaí tentou o chute, errou bola, mas o juiz deu pênalti alegando que ele foi empurrado por Bolívar. E o próprio jogador precisou de dois chutes para marcar. Muriel defendeu a cobrança, mas William fez no rebote.

Desenrolado

Do vestiário o Inter retornou com postura mais agressiva. D'Alessandro adiantou-se pela direita, configurando com Fabrício e Leandro Damião o trio ofensivo de um 4-3-3. Controlou melhor a posse de bola, mas ainda assim demorou a testar as habilidades do goleiro Felipe.

Aliás, ele praticamente não foi testado. Andrezinho, que saiu do banco para substituir Guiñazu, em seu primeiro lance recebeu de Damião e tirou o goleiro avaiano das fotografias que estamparão o lance nos jornais de sexta-feira: 1 a 1, encerrando uma série que, somada, mantinha o Inter há seis horas seguidas sem marcar um gol sequer no Brasileirão.

E para alguém que sofria tão longo jejum, a fome foi saciada com outro gol, de Damião, em quatro minutos. A essa altura, os aproximadamente 1,5 mil colorados já cantavam nas arquibancadas:

- A Ressacada virou o Beira-Rio!

Para completar a festa, em contra-ataque fulminante, ainda houve tempo para D'Alessandro consolidar a boa vitória do Inter nos acréscimos.                  

veja também