MENU

Sem jogar a toalha, Carpegiani muda de foco e já escala time para domingo

Sem jogar a toalha, Carpegiani muda de foco e já escala time para domingo

Atualizado: Segunda-feira, 8 Novembro de 2010 as 2:47

Com a derrota por 2 a 0 para o Corinthians neste domingo, no Morumbi, o São Paulo ficou em situação bastante complicada para assegurar uma vaga na Libertadores de 2011. Com 50 pontos, está a cinco do Botafogo, último time do G-4. Sim, agora o Tricolor pensa na quarta vaga, que antes era esquecida pelo técnico Paulo César Carpegiani. O treinador admitiu que ficou mais complicado conseguir a classificação, mas garantiu que o time lutará até o fim. E, claro, torcerá para que um brasileiro não seja campeão da Copa Sul-Americana, pois se isso acontecer, o G-4 volta a ser G-3.

- Hoje vejo a classificação com alguma dificuldade, temos que fixar o foco no quarto lugar, antes a nossa meta era o terceiro. Só temos uma esperança que é não ter um brasileiro campeão da Sul-Americana, essa é a verdade. Temos que ser realistas. A briga está ampla, mas não jogamos a toalha não, temos obrigação como profissionais de motivar esse time - explicou o comandante.

Desde que chegou ao São Paulo, Carpegiani adotou uma postura ofensiva para buscar vitórias a curto prazo. O aproveitamento - cinco vitórias e duas derrotas - mostra que o técnico agiu corretamente no geral. Mas questionado se o time estava aberto demais no clássico deste domingo, o treinador discordou, e explicou que a equipe sentiu muito as ausências de Carlinhos Paraíba e Richarlyson. Ambos cumpriram suspensão e já estão confirmados para o jogo do próximo domingo, contra o Vasco, em São Januário, pois Carpegiani adiantou que escalará a mesma formação usada na vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro.

- Não vejo desta forma. O time que jogou contra o Cruzeiro está escalado a partir de hoje para o próximo jogo. Nossos desfalques não tiram o mérito do Corinthians, mas tivemos dificuldades. Foi um jogo monótono no primeiro tempo. Depois nosso meio recuou e permitiu jogadas do adversário. Mas por uma desatenção nossa sofremos o primeiro gol, o que acabou fazendo a diferença no jogo - apontou o técnico.

Durante a semana, Carpegiani mostrou dúvida ao escolher substitutos para Carlinhos e Richarlyson. No último treino, testou Renato Silva improvisado na lateral esquerda, e Casemiro no meio. Manteve este último, mas não arriscou o improviso do zagueiro e optou por Diogo mesmo na lateral. Perguntado se tinha se arrependido das escolhas, o técnico negou.

- Vocês é que estão aí para dizer. Não privo vocês dos treinos, mas ao longo da semana expressei minha preocupação. Eu tinha ficado satisfeito com o time contra o Cruzeiro, mas depois tive ausências cruciais para o clássico. O Richarlyson é conhecido por passar muita segurança, sem desmerecer o Diogo. Mas o meio foi nossa maior dificuldade, pois tenho muitos jogadores com as mesmas características. O Carlinhos é diferente, fez muita falta. Testei o Jean no meio e não gostei, porque vestia um santo e tirava a roupa de outro. Mas optei por fazer o simples. Ruim seria se eu tivesse improvisado e vocês me perguntassem: por que não fez o simples? - justificou.

Por: Carolina Elustondo

veja também