MENU

Sem Liedson, rendimento do ataque do Timão despenca no Brasileirão

Sem Liedson, rendimento do ataque do Timão despenca no Brasileirão

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2011 as 2:42

Emerson não conseguiu substituir à altura o

companheiro Liedson (Foto: Ag. Estado)

  Liedson voltar ao Corinthians contra o Ceará, domingo, às 16h, no Pacaembu, é um alívio para o técnico Tite. Desde que o Levezinho passou por uma artroscopia no joelho esquerdo, dia 22 de julho, o ataque do Timão caiu de produção. Sem a presença do veterano artilheiro, aliada à má fase dos outros titulares, a equipe diminuiu quase que pela metade o número de gols marcados nas últimas cinco rodadas, mesmo finalizando mais vezes.

Nos dez primeiros jogos, o Alvinegro não foi arrasador apenas pelas nove vitórias e um empate. O time marcou nada menos que 19 gols, média de 1,9 por confronto. Entretanto, a partir da derrota para o Cruzeiro, já sem o centroavante, o clube do Parque São Jorge viu seu rendimento diminuir para apenas uma bola na rede por duelo – cinco em cinco.

O período coincide com o pior momento do Corinthians no Campeonato Brasileiro. Além da derrota para a Raposa, os comandados de Tite contabilizaram um revés frente ao Avaí, um triunfo sobre o América-MG e empates contra Atlético-PR e Santos. O rendimento queimou toda a gordura acumulada. Agora, o Timão divide a liderança com o Flamengo, ambos somando 33 pontos, apenas dois acima do rival São Paulo.

A pontaria, aliás, vem sendo o grande problema recente para o treinador corrigir. Os gols estão escassos, mas o número de chutes cresceu. Com Liedson, o Timão finalizou até a décima rodada 129 vezes, média de 12,9 bolas contra a meta adversária. Sem ele,  a média de 15,2 com 76 em cinco rodadas. Diante do Santos, porém, foram apenas oito conclusões, o pior desempenho em todo o torneio, ao lado do jogo contra o Bahia. Tite reconhece o problema.

- Esse é um fator muito importante. Eu vivo dizendo para os jogadores queimarem a mão do goleiro, exigir que ele faça grandes defesas. Mas tem a questão do entrosamento também – disse o treinador.

O Corinthians teve três formações diferentes do ataque nos últimos cinco jogos. Jorge Henrique, Willian e Emerson jogaram juntos contra Cruzeiro, Avaí e América-MG. Diante do Atlético-PR, o setor foi composto por Willian e Jorge Henrique. Já frente ao Santos, Willian e Emerson fizeram a dupla ofensiva.

Os atacantes, aliás, não passaram por boas fases. Willian, por exemplo, não marca há seis rodadas, desde quando anotou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, dia 14 de julho, no Pacaembu. Jorge Henrique fez dois nos últimos cinco jogos, mas teve atuação apagada na Arena da Baixada e cumpriu suspensão na Vila Belmiro. Já o garoto Elias Oliveira, que passou a entrar mais vezes, ainda não marcou.

O caso que mais preocupa é o de Emerson, contratado como um dos grandes reforços da temporada, mas que ainda não vingou. Em 12 partidas, Sheik balançou a rede apenas uma vez, contra o Avaí. No mais, acumulou chances perdidas e um futebol muito instável.

Liberado pelos médicos, Liedson volta a campo no fim de semana. Tite e a torcida agradecem!          

veja também