MENU

Sem opções viáveis, Palmeiras descarta obsessão por camisa 9

Sem opções viáveis, Palmeiras descarta obsessão por camisa 9

Atualizado: Sexta-feira, 18 Fevereiro de 2011 as 10:10

Pergunte a algum dirigente do Palmeiras sobre a busca por um camisa 9, e você será demovido da ideia de que o clube quer alguém para a posição. Querer, continua querendo. Mas se há uma palavra que não existe no vocabulário palmeirense, é "pressa". Depois de negociação frustrada com Viatri, do Boca Juniors, e sondagens a Alecsandro, do Internacional, ninguém mais fala abertamente em negociações.

É notório que Kleber precisa de um companheiro mais de área no ataque do Palmeiras. O próprio Gladiador já disse que sua função não é essa, e que a faz a pedido do técnico Luiz Felipe Scolari. O garoto Miguel, de 18 anos, pode suprir essa carência, já que reúne as características necessárias de um bom centroavante. Cauteloso, Felipão ainda vai observá-lo.

Entre os conselheiros, vários nomes de peso são lembrados - e todos esbarram em questões financeiras. Nesta semana, até Luís Fabiano chegou a ser citado em conversas depois que ele divulgou que seu ciclo no Sevilla-ESP acabou. Mas os valores são proibitivos e a tentativa frustrada do Corinthians no início do ano desanima. Os espanhois não devem liberá-lo por menos de 10 milhões de euros - em definitivo. A Traffic, por meio do presidente Julio Mariz, já avisou que a torcida não deve esperar um nome de grande peso para reforçar a posição. Assim, o Verdão teria de buscar recursos sem - ou com pouca - ajuda da parceira.

No entanto, o Palmeiras vem ganhando seus jogos e é líder do Campeonato Paulista com 19 pontos. A defesa vem sendo o pilar dessa equipe, enquanto o ataque trabalha o suficiente para fazer ao menos um golzinho. A boa fase dá fôlego à diretoria do clube nessa procura. Ainda que a cúpula negue que isto seja uma prioridade.     - Não sei o que deu na cabeça de todo mundo. Não estamos procurando camisa 9 desse jeito, no desespero. Se aparecer um com boas condições, ótimo, mas hoje não é uma obsessão. Estamos ganhando os jogos com 9, sem 9. Quando tínhamos um, reclamaram e xingaram - afirmou o vice-presidente Roberto Frizzo.

Frizzo fala de Vágner Love, último a vestir esse número. Revelado pelo Verdão, ele retornou em 2009 com o clube na liderança do Campeonato Brasileiro, mas acabou naufragando junto com a equipe, que sequer conseguiu classificação para a Taça Libertadores. Agredido por integrantes de uma torcida organizada, deixou o Palmeiras no início de 2010.

Por enquanto, Felipão terá de seguir apostando em Kleber como centroavante, ou apostar em Miguel. Outra opção é adiantar Valdivia para atuar ao lado do Gladiador. Frizzo promete atender ao desejo do técnico, mas também espera chances a quem já está no elenco, como Miguel.

- Todo grande jogador teve seu primeiro jogo, sua oportunidade. Vamos ver se o Miguel pega ou larga. Ele tem carinho pelo clube, está aqui desde pequeno, então acho que ele pode ter um bom caminho pela frente - analisou o vice-presidente.    

veja também