MENU

Sem posição do Botafogo, Marcelo Cordeiro já fala em tom de despedida

Sem posição do Botafogo, Marcelo Cordeiro já fala em tom de despedida

Atualizado: Quarta-feira, 15 Dezembro de 2010 as 2:53

A saída parece cada vez mais iminente. Sem uma resposta sobre seu futuro no Botafogo, o lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro já fala em tom de despedida. Emprestado no início de 2010 pelo Internacional, o jogador não sabe se o clube carioca tentará prorrogar seu empréstimo, que termina neste ano. Mas, nas palavras do próprio, a permanência ainda está longe de acontecer.

- Estava aguardando uma posição do Botafogo para que eu pudesse decidir o meu futuro, mas até agora não houve contato e o que estou sabendo é apenas pela imprensa. Como não me contataram, acredito que eu não devo permanecer no Botafogo. A princípio eu retorno ao Inter, já conversei com o Nilton Drummond, o Chumbinho. Já conversei com o Márcio (Bittencourt, empresário), mas primeiro tenho que voltar ao Inter, conversar - disse o jogador à Rádio Brasil.

Apesar de parecer conformado, o jogador argumentou e defendeu seu aproveitamento nesta temporada.

- Eles têm o poder de decidir se querem ficar com o atleta ou não. Fui eleito o melhor lateral do Campeonato Carioca. É claro que esperava permanecer, até porque é dito por todos que uma das posições mais carentes no futebol brasileiro é a lateral esquerda. Você vê, é uma posição carente, o Juan está sendo disputado. A diretoria do Botafogo tem todo o poder para decidir os jogadores que eles querem. Como falei, se não permanecer no Inter, meu desejo é jogar, ser titular de uma equipe, e lá no Inter eles têm o Kleber, pode ser que o Kleber não fique também. A vida segue e desejo sorte ao Botafogo.

O Botafogo negocia até sexta-feira a situação de alguns jogadores emprestados. A intenção do clube é permanecer com os zagueiros Antônio Carlos e Danny Morais. No caso de Cordeiro, porém,  ainda não foi manifestado o interesse de ficar com o atleta no elenco de 2011. Sua continuidade em General Severiano ainda depende da avaliação da comissão técnica.

- Ele (Joel Santana) é um cara muito bom de grupo, fácil de lidar, muito inteligente. É claro que todo treinador tem suas preferências, tem os jogadores que tem mais afinidade. Sempre me dei bem com ele, está aberto a escutar. Não tive nenhum problema de relacionamento com o Joel nem com outro treinador. De repente ele tem outro jogador que goste mais do estilo e está procurando para trazer para o Botafogo.     fonte: Globoesporte.com

veja também