MENU

"Senhor Libertadores", Iarley chega e pede a 10 para Mano

"Senhor Libertadores", Iarley chega e pede a 10 para Mano

Atualizado: Terça-feira, 5 Janeiro de 2010 as 12

Sem a mesma pompa que envolveu a apresentação oficial de Roberto Carlos como novo jogador do Corinthians, o não menos experiente Iarley vestiu a camisa alvinegra pela primeira vez na manhã desta terça-feira. Mas não ficou atrás do lateral na empolgação demonstrada por fazer parte do grupo de Mano Menezes no ano do centenário do clube.

''No momento em que começaram a especular minha vinda para cá já deu para sentir o carinho da torcida e o que vai ser esse ano. Só tenho a agradecer a confiança do Mano (Menezes) e da diretoria em meu futebol, pois é uma honra fazer parte desse projeto'', discursou o atleta, que assinou contrato de um ano e meio com o Alvinegro.

Apresentado pelo vice-presidente Mário Gobbi como ''um novo cúmplice'' e um jogador cujo ''currículo fala por si só'', Iarley, apelidado de 'Senhor Libertadores' por suas boas passagens na competição com as camisas de Paysandu (2003), Boca Juniors (2004) e Internacional (2006), foi direto quando questionado sobre o que sua experiência pode acrescentar ao Timão em campos internacionais.

''Joguei em essa competição em clubes muito parecidos com o Corinthians em termos de massa e paixão, pois tanto Boca (Juniors) quanto Inter e Paysandu, naquela época, eram assim. Isso me dá um bom respaldo e esse rótulo que abracei com tanto carinho'', discursou.

Sentindo-se totalmente em casa no Parque São Jorge, Iarley ainda mandou um ''recado'' ao técnico Mano Menezes quando o assunto foi a possível formação de dois times para o primeiro semestre - um para o Paulista e outro para a Libertadores. ''O rótulo já diz tudo. Acho que o Mano tem que entender isso. Terei um pouco mais de responsabilidade, pois precisarei resolver, mas já fiz isso por onde passei e aqui não será diferente'', prometeu.

Empolgado por ter a chance de disputar sua quarta Libertadores na carreira, o jogador, que foi vice-campeão com o Boca e campeão com o Colorado gaúcho, até tentou disfarçar, mas acabou deixando a timidez de lado quando questionado sobre qual número deseja ver em sua camisa assim que começar a atuar pelo Timão.

''Isso fica mais a critério do treinador, é mais pelo clube. O importante é estar no meio'', iniciou, para, na sequência, emendar: ''Eu sempre joguei com a 10 na Libertadores e, por casualidade, meu material de treino aqui é o 10. Fiquei bastante feliz e espero que a (camisa) de jogo também seja a 10'', finalizou.

Sem definição: O técnico Mano Menezes não confirmou se Iarley terá ou não seu desejo realizado. Segundo o treinador, os jogadores escalados para os compromissos do Campeonato Paulista trajarão os tradicionais números de 1 a 11. Quando iniciar a Libertadores, aí sim os inscritos ficarão fixos até o fim da temporada com as camisas do número 1 ao 25.

veja também