MENU

Simon nega erro no Maracanã e lança "desafio" para Belluzzo

Simon nega erro no Maracanã e lança "desafio" para Belluzzo

Atualizado: Terça-feira, 10 Novembro de 2009 as 12

Principal personagem do futebol brasileiro neste final de semana, o árbitro da Fifa Carlos Eugênio Simon manteve a polêmica decisão tomada na anulação do gol de Obina no último domingo, na partida entre Fluminense e Palmeiras, vencida pelos cariocas por 1 a 0. Acusado pelos paulistas de ter sido o principal culpado pelo revés no Maracanã, o gaúcho desafiou o presidente do Verdão, Luiz Gonzaga Belluzzo, a entrar com um processo na justiça, como afirmara o palmeirense durante esta tarde.

''O Gaúcho está de pé. Gaúcho não se entrega e nem vai se entregar para esse cara (Belluzzo). Pode ter certeza, todos que atacarem minha honra vão ter que provar. E já aviso que ganhei todos os processos, pois ninguém prova nada contra mim. Não tenho o rabo preso. Vim de baixo, de uma família humilde e o povo do Rio Grande do Sul me conhece'', afirmou o árbitro, em entrevista à Rádio Guaíba.

As palavras de Simon serviram como resposta às críticas feitas por Belluzzo nesta segunda-feira. Em coletiva realizada na Academia de Futebol, o presidente alviverde acusou o árbitro gaúcho de apitar com a intenção de prejudicar o Palmeiras na disputa pelo título do Brasileirão. Extremamente irritado, o economista prometeu agredir o juiz, caso o encontrasse na rua, e processá-lo por perdas e danos, em virtude do resultado negativo da partida.

Sobre o lance polêmico, Simon negou o erro. ''Apitei a falta antes de a bola chegar na área. O Obina puxou o zagueiro e, posteriormente, o zagueiro puxou o Obina, que mesmo puxado, fez o gol de cabeça. O jogo já havia parado. Se a televisão não pegou eu apitando, é outro problema. Eu vi no campo e marquei'', explicou.

Depois de a polêmica ser externada, principalmente após as câmeras de televisão comprovarem o erro de Simon, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) suspendeu o árbitro até o final do Campeonato Brasileiro. A entidade máxima do futebol nacional justificou a atitude pelo 'acúmulo de erros' do gaúcho durante esta temporada.

Mesmo contestado, Simon representou a arbitragem brasileira nas duas últimas Copas do Mundo (2002, no Japão, e Alemanha, 2006) e será o árbitro verde-amarelo na África do Sul, em 2010.

veja também