MENU

Sob sol forte, Grêmio só empata com o São Luiz e vê a torcida perder a paciência

Sob sol forte, Grêmio só empata com o São Luiz e vê a torcida perder a paciência

Atualizado: Quinta-feira, 4 Fevereiro de 2010 as 12

Era dia de recuperação, de dar um chega para lá na crise e esquecer a derrota no Gre-Nal do domingo passado. Nada saiu como planejado. Nesta quarta-feira, sob um sol de quase 40ºC, o Grêmio não conseguiu passar de um empate com o São Luiz, por 1 a 1, pela sexta rodada do Gauchão , e teve de aceitar as vaias dos torcedores. Recém-chegado, o técnico Silas ouviu gritos de "burro" pela primeira vez no comando do time. Sinal de que vai ter muito trabalho pela frente e em um curto espaço de tempo. Mesmo com o resultado ruim, a equipe continuou na liderança do Grupo 1, com 11 pontos, e garantiu a classificação antecipada para as quartas de final, já que não pode ser mais alcançado pelo quinto colocado.

O São Luiz de Ijuí, até então dono da melhor campanha no Estadual, ainda lidera o Grupo 2, com 14 pontos, mas pode perder posições no fim da rodada.  

No domingo, o Grêmio visita o Universidade, em Canoas, às 17h. O São Luiz recebe o Esportivo, em Ijuí, no mesmo horário. 

Foi angustiante ver os goleiros do Grêmio, Victor e Marcelo Grohe, e os jogadores do São Luiz fazendo aquecimento sob um sol de quase 40°C no gramado do estádio Olímpico. A sensação térmica era de uma temperatura ainda maior. Porto Alegre teve dia com um sol para cada um. E não é exagero. O calor fez uma vítima antes de a bola rolar. Numa das cabines de imprensa, o ex- jogador e comentarista do SporTV e do canal PFC, Batista, de 54 anos, passou mal pouco antes do início do confronto . Ele desmaiou, recebeu atendimento médico, conseguiu voltar ao trabalho e passa bem.

Em campo, o Grêmio só conseguiu deixar a cabeça do torcedor mais quente. Disposto, mas sem padrão tático, o time até criou boas possibilidades, mas cometeu muitos erros de passe e finalização. Sem Souza - que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo no último domingo, terá de passar por cirurgia e só volta em seis meses -, coube a Hugo a obrigação de criar as jogadas. Mesmo febril, o camisa 10 começou bem. Aos 12, ganhou uma disputa pelo alto no meio-campo e conseguiu deixar Jonas livre na esquerda. O chute do camisa 7 subiu demais. 

O forte calor fez o jogo parar por dois minutos, aos 21, para a hidratação dos jogadores. Silas aproveitou para arrumar a casa, mas faltou combinar com Jonas. A pontaria do artilheiro gremista no Gauchão, com quatro gols, andava mal. Em nova chance, aos 33, fez uma escolha errada. Após grande jogada do zagueiro Mário Fernandes, ficou sozinho na área em condições de bater, tentou driblar o goleiro Oliveira e perdeu o ângulo. Bola para fora, e fim da paciência nas arquibancadas.

Borges tentou fazer o clima de pressão passar. Rafael Marques cruzou, o atacante dividiu com Marcelo Oliveira pelo alto e mandou para fora, aos 30. Dez minutos mais tarde, Jonas desperdiçou mais uma boa chance. Lançado na esquerda, ficou livre, buscou o ângulo de Oliveira, mas errou o alvo novamente. Grêmio dono do jogo, mas placar em branco. 

Sob vaias, Tricolor só empata  

Silas decidiu mudar peças e esquema no segundo tempo. Joílson e Adilson, vítimas do desgaste, saíram para que Maylson e Fábio Rochemback entrassem. No 4-4-2, o técnico deslocou Mário Fernandes para a lateral direita e deu companhia a Hugo no meio-campo. Não deu tempo de saber se daria certo. Aos dois minutos, Eraldo, artilheiro do Gauchão com sete gols, encarou a marcação de Maurício na linha de fundo, cruzou da direita e achou Vanderson, livre na área, para abrir o placar. Foi o primeiro ataque bem organizado do clube de Ijuí na partida. Em seis jogos no Estadual, o Grêmio saiu atrás em todos.

Duas boas chances chegaram a interromper as vaias no Olímpico. Aos cinco, Borges recebeu ótimo cruzamento de Mário Fernandes na pequena área e conseguiu o chute. Para o azar do atacante, a bola bateu no travessão e caiu sobre a linha. Nem adiantava pedir gol. Em seu único e último chute, Hugo fez Oliveira trabalhar duro. Aos 14, a bomba de perna esquerda ia parar no cantinho, mas o goleirão caiu bonito para defender. Fábio Santos entrou no lugar do meia.  

Em uma nova pausa para aliviar o calor, os torcedores protestaram. Silas ouviu gritos de "burro" pela primeira vez desde que assumiu o Tricolor. Rochemback, que errou tudo que tentou até aquele momento, também foi criticado.

Borges é um atacante que nunca desiste. Talvez por isso tenha fama de goleador. Aos 27, foi recompensado por todo esforço que tem feito com a camisa do Grêmio. Após ótimo cruzamento de Maylson, ele nem teve o trabalho de sair do chão. Cabeça na bola, e bola na rede: 1 a 1. E a virada por pouco não saiu no minuto seguinte. Na cobrança de escanteio, a bola sobrou na pequena área. O giro rápido, característica do camisa 9, terminou com um chute forte para muito longe do gol.

Lúcio, aos 46, ainda cobrou falta com perfeição, mas Oliveira foi buscar. O Grêmio amplia a invencibilidade em casa para 42 jogos, não perde desde setembro de 2008, mas nesta quarta-feira o dado não passou de um detalhe.

veja também