MENU

Sonho não acabou: Inter mira tri da América para ter outro Mundial

Sonho não acabou: Inter mira tri da América para ter outro Mundial

Atualizado: Quarta-feira, 15 Dezembro de 2010 as 9:41

JA esperança virou dor. E no meio da dor começou a renascer a esperança. Muito abalados pela derrota de 2 a 0 para o Mazembe e a consequente despedida do sonho do bicampeonato mundial em 2010, os atletas colorados já se apegam a uma nova chance. O Inter, na próxima temporada, está garantido na Libertadores. Se voltar a vencê-la, estará outra vez em um Mundial – que retorna ao Japão, onde o time gaúcho foi campeão em 2006.

É uma luz no fim do túnel para os jogadores que protagonizaram uma das derrotas mais marcantes da história do Inter. Eles têm a esperança de poder apagar a tragédia de Abu Dhabi em 2011.

- Temos que tentar chegar aqui de novo. Para chegar, temos que ganhar a Libertadores. Somos os atuais campeões, e isso não foi tão valorizado. Temos que buscar isso de novo. Fechamos o ano derrotados. Mesmo tendo vencido uma Libertadores, fechamos o ano com espírito de derrotados. Isso é o futebol. Vamos aprendendo com isso – disse Tinga.

O meio-campista voltou ao Inter para tentar conquistar o planeta, algo que não conseguiu em 2006, já que deixou o clube logo depois da Libertadores. É o mesmo caso de Rafael Sobis. Ambos carregam essa frustração.

- Tenho apenas 25 anos e a oportunidade de jogar uma Libertadores no ano que vem, de talvez ser campeão. Nosso time tem qualidade para jogar essa Libertadores e vencer novamente – afirmou o atacante.

O lateral-direito Nei, muito abalado, foi outro a buscar força na certeza de disputar a Libertadores de 2011.

- Estou chateado, desanimado. Demora um pouco para passar. Não dá para explicar. Eu foco muito no que quero. Sempre deixei claro que queria ser campeão. Eu me arrebentei, corri muito no jogo, mas não deu. São lições da vida. Vamos tentar de novo. Ano que vem, tem outra Libertadores.

O Inter se despede do Mundial no sábado e entra em férias na segunda-feira. O elenco principal se reapresenta em 20 de janeiro para o início da preparação para a Libertadores. O Emelec, do Equador, e o Jorge Wilstermann, da Bolívia, estão na chave colorada, que ainda terá o Jaguares, do México, ou um clube peruano.

Por: Alexandre Alliatti

veja também