MENU

Taça Guanabara: Fluminense faz mais uma vítima sem muito esforço

Taça Guanabara: Fluminense faz mais uma vítima sem muito esforço

Atualizado: Sexta-feira, 29 Janeiro de 2010 as 12

O Fluminense prometeu não se poupar para o Fla-Flu, mandou o que tinha de melhor para campo, mas nem precisou forçar muito para vencer o Duque de Caxias e manter a campanha perfeita na Taça Guanabara. Nesta quinta, dia 28, no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda, pela quarta rodada, os gols de Maicon, Julio Cesar e Marquinho, duas vezes, garantiram o triunfo por 4 a 0, a manutenção dos 100% de aproveitamento e a invencibilidade da defesa.

Na arquibancada, euforia com gritos de "olé" ainda no primeiro tempo e um recado: "Urubu, pode esperar, a sua hora vai chegar". O resultado coloca a equipe novamente na liderança do Grupo A da competição, com os mesmos 12 pontos do Flamengo, mas com saldo de gols superior: 11 a cinco. Por outro lado, o time da Baixada segue com apenas um ponto, em quinto, na frente apenas de Bangu e Americano, que perderam todos os seus jogos.

Na próxima rodada, o Tricolor tem pela frente o primeiro clássico da temporada, contra o Flamengo, domingo, às 19h30m (de Brasília), no Maracanã. Já o Duque de Caxias encara o calor de Moça Bonita e o Bangu, no mesmo dia, às 11h.

Sem fazer força, Flu abre vantagem

Soberano, o Fluminense nem precisou forçar para praticamente definir a partida na primeira etapa. Seguro na defesa, apesar de contar com um zagueiro a menos do que de costume, e veloz no ataque, o Tricolor largou na frente e sequer sofreu sustos diante de um Duque de Caxias que não conseguia nem penetrar sua área.

Muito bem marcado, o time da Baixada obrigou Rafael a fazer apenas uma defesa no primeiro tempo, e logo aos dois minutos. Silva cobrou falta e o goleiro tricolor voou para colocar para escanteio. Na sequência, Juninho ficou com a bola após cruzamento e chutou em cima da zaga. A partir daí o que se viu foi um massacre do Flu.

Logo no primeiro ataque, os cariocas abriram o placar. Conca recebeu lançamento, invadiu a área, driblou Getúlio Vargas e tocou para o gol. Marlon salvou o Duque e mandou a bola pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, não teve perdão: Conca cobrou curto para Julio Cesar, que serviu Maicon na pequena área. O atacante apenas desviou de cabeça no canto esquerdo e correu para o abraço: 1 a 0 Flu.

Com a partida controlada, o Tricolor trocava passes e deixava o adversário ansioso. Sem espaços, o Duque de Caxias seguia apelando para chutes de longe sem sucesso. Aos 14, tensão para a torcida do Flu: Fred recebeu uma pancada de Gleidson na coxa esquerda e deixou o campo de maca. No entanto, foi apenas um susto, apesar da marca das travas da chuteira do rival permanecer na coxa do atacante.

Aos 23, mais um golpe fatal. Maicon recebeu passe de Fred no bico da área e resolveu retribuir a assistência de Julio Cesar. Com um cruzamento preciso e rasteiro, ele deixou o lateral na boa para apenas desviar de perna esquerda e ampliar a vantagem. Sem pressa, o Flu voltou a administrar a vantagem e apareceu no ataque novamente apenas dez minutos depois.

Mariano fez boa jogada pela direita, driblou dois e cruzou para Conca, que não alcançou a bola. Aos 35, quem apareceu bem foi Everton. Após jogada ensaiada em cobrança de falta, ele recebeu de Julio Cesar e soltou o pé. Getúlio Vargas voou e evitou o gol. Foi o suficiente para a torcida fazer a festa já começar a gritar "olé".

Três minutos depois, quem teve a chance de marcar o seu foi Fred. O camisa 9 recebeu de Conca, dominou no peito e chutou cruzado para fora. E se o Tricolor já mandava em campo, a missão de recuperar a liderança e manter os 100% foi facilitada aos 44, quando Marlon derrubou Fred fora da área e recebeu o segundo cartão amarelo. Foi o lance final de um primeiro tempo em que o Flu foi superior em todos os sentidos.

Marquinho transforma vitória em goleada

Com superioridade numérica, o Fluminense transformou o segundo tempo em um jogo de ataque contra defesa. Com o Duque de Caxias entregue, o Tricolor se manteve por quase todo o tempo no campo de ataque e a única dúvida era de quanto seria o quarto triunfo na temporada.

Logo no primeiro minuto, Julio Cesar e Willians tabelaram pelo lado direito, o meia recebeu na frente e chutou de bico para acertar a trave. Dez minutos depois, Fred teve mais uma boa oportunidade: o atacante recebeu de Conca na marca do pênalti, mas chutou com a marcação em cima e a bola saiu fraca para a defesa de Getúlio Vargas.

O goleiro do Duque de Caxias impediu o terceiro gol também em dois chutes de longa distância aos 15, primeiro de Diogo e depois de Mariano. Aos 17, com a vitória garantida, Cuca resolveu poupar sua principal estrela e trocou Fred por Alan.

E foi justamente o jovem atacante quem iniciou a jogada do terceiro gol. Aos 24, Alan disputou a bola com Diego Ratão, que fez o corte para trás e deixou Marquinho na cara do gol. O apoiador teve apenas o trabalho de escolher o canto e deslocar o goleiro para colocar o 3 a 0 no placar.

Em ritmo de treino, o Flu seguiu pressionando e o próprio Marquinho foi o responsável pelo quarto gol. Aos 40, ele fez fila no meio-campo e arriscou o chute da entrada da área. A bola desviou na zaga e enganou Getúlio, que nada pôde fazer. Totalmente perdido em campo, o Duque ainda teve tempo para perder Fábio, expulso após falta em Kieza. Já os tricolores só festejavam nas arquibancadas e sem esconder a ansiedade pelo Fla-Flu de domingo: "Urubu, pode esperar, a sua hora vai chegar".

veja também