MENU

Técnico da Itália diz que Brasil é favorito à Copa

Técnico da Itália diz que Brasil é favorito à Copa

Atualizado: Terça-feira, 16 Março de 2010 as 12

Para o técnico da seleção italiana, Marcello Lippi, o Brasil é o favorito para a Copa do Mundo da África do Sul. Apesar de a Espanha, campeã europeia, ser apontada como principal candidata ao título por muitos especialistas, para Lippi o Brasil é a equipe a ser batida, e terá uma motivação extra na busca por sua sexta taça.

"O Brasil é o time mais forte", disse Lippi em uma coletiva para seleto grupo de repórteres nesta terça-feira, dia 16. "Os brasileiros estarão muito motivados porque da última vez [em 2006] eles sabiam que eram o melhor time, mas perderam."

Atual campeã mundial, a Itália corre por fora nas apostas para a Copa deste ano. A falta de criatividade da equipe de Lippi gerou uma pressão para que o treinador convoque o astro da Sampdoria, Antonio Cassano, e a jovem estrela da Inter de Milão, Mario Balotelli, de 19 anos.

No entanto, Cassano não mostrou o mesmo brilho de 2009 este ano e deve ficar de fora da seleção, enquanto Balotelli, ainda é uma dúvida, já que tem choques constantes com seu treinador na Inter, José Mourinho.

O fato de Balotelli, descendente de ganeses, ser o principal alvo das recorrentes manifestações racistas nos estádios italianos, poderia ajudar em sua convocação, já que, para muitos italianos, sua ida à Copa do Mundo seria uma mensagem contra o racismo na Itália. Porém, para Lippi, o jovem atacante ainda não está pronto.

"Todos sabem que sou contra qualquer tipo de racismo. Existe apenas uma raça, a humana, mas também estou convencido de que um treinador não deve escolher jogadores por essa razão", disse o técnico da Itália. "Tenho certeza de que quando ele terminar o processo de crescimento na Inter, será maduro o suficiente e terá qualidades úteis para a Itália", completou.

Lippi também aproveitou para negar que a alta média de idade do time seja um problema. Para ele, a experiência conta mais que a juventude em um torneio curto como a Copa. O técnico da Itália também brincou dizendo que ainda há tempo para um escândalo que possa unir seus jogadores como aconteceu em 2006, depois do famoso caso de armação de resultados no Campeonato Italiano. "Bom, ainda temos mais três meses", finalizou, em tom de piada.

veja também