MENU

Teixeira pressiona SP por rixa política e prefere abertura no Rio, diz jornal

Teixeira pressiona SP por rixa política e prefere abertura no Rio, diz jornal

Atualizado: Quinta-feira, 2 Junho de 2011 as 10:13

Ricardo Teixeira, e não a Fifa, é o grande responsável pela pressão sobre a preparação da cidade de São Paulo na Copa do Mundo de 2014, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. Uma rixa política do presidente da CBF com o PSDB e o interesse do cartola em fazer a abertura no Rio de Janeiro estariam por trás do clima de incertezas que hoje envolve o Itaquerão, futuro estádio do Corinthians.

A informação, segundo a publicação, foi apurada com dirigentes da Fifa que estavam no congresso da entidade, em Zurique, e não quiseram se identificar. As fontes teriam assegurado que Joseph Blatter e companhia não têm interesse em excluir São Paulo do cronograma oficial, como chegou a ser cogitado na semana passada.

“A ideia deles [CBF] é mesmo concentrar as atividades no Rio de Janeiro. Isso vem de Ricardo [Teixeira]”, disse Geoff Thompson, ex-vice-presidente da Fifa que deixou o cargo na última quarta e, por isso, aceitou falar com O Estado de S. Paulo. O desejo de Ricardo Teixeira de concentrar grandes eventos no Rio de Janeiro não é novo. Essa ideia foi externada a diversos jornalistas durante a Copa do Mundo de 2010, como revelou o Blog do Perrone, sob o pretexto de que as dificuldades logísticas seriam amenizadas.

O Maracanã já deve sediar a final da Copa, tem garantidos o centro de mídia e o sorteio das eliminatórias, primeiro evento oficial da competição que acontece em julho deste ano, na Marina da Glória. Com os atrasos na obra do Itaquerão, que começaram apenas na última segunda, São Paulo volta a correr o risco de perder também a abertura.

Por trás da arquitetura planejada por Ricardo Teixeira estaria uma rixa política com parte do PSDB, que governa São Paulo. O cartola não mantém boas ligações com os tucanos paulistas desde que foi investigado por duas CPI’s durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Seu grande aliado na legenda é Aécio Neves, senador de Minas Gerais, que vive em disputa interna com os correligionários de São Paulo e também pleiteia a abertura da Copa do Mundo para a sua Belo Horizonte.        

veja também