MENU

Thiago despede-se de Canet, na França, com duas pratas

Thiago despede-se de Canet, na França, com duas pratas

Atualizado: Quarta-feira, 18 Junho de 2008 as 12

Thiago despede-se de Canet, na França, com duas pratas

Nos 200m medley, o brasileiro foi superado de novo pelo húngaro Laszlo Cseh

Thiago Pereira faturou no domingo, dia 15 de junho, sua segunda medalha de prata na etapa de Canet, na França, do Circuito Mare Nostrum de Natação. Na decisão dos 200m medley, ele foi derrotado pelo húngaro Laszlo Cseh, com 1min57s43, contra 1min58s74 do brasileiro.

O bronze foi para o austríaco Dinko Jukic (com 2min01s13).

O objetivo do nadador fluminense era nadar a prova para a casa do 1min58s. Thiago e seu técnico Fernando Vanzella ficaram felizes pelo resultado alcançado. "O Thiago nadou bem. Ele nunca fez tempos tão bons nesta fase de treino, por isso estamos satisfeitos", analisou Vanzella. Vale lembrar que o melhor tempo de Thiago na prova é 1min57s79 (recorde sul-americano, obtido no Pan do Rio, no ano passado.

No sábado, dia 14 de junho, o nadador fluminense, que é patrocinado por Bradesco, Correios, Speedo e Minas Tênis, já havia sido superado nos 400m medley por Cseh, que estabeleceu o novo recorde europeu (4min07s56). Thiago nadou um pouco acima do esperado nesta prova. Fez 4min15s31. Sua melhor marca é 4min11s14, recorde sul-americano (Pan do Rio/2007).

"O húngaro teve um excelente resultado. Ele nadou para a segunda melhor marca do mundo de todos os tempos e estava muito bem preparado", explicou Vanzella. O líder do ranking mundial da prova é o norte-americano Michael Phelps, com 4min06s22.

Thiago enfrenta uma fase pesada de treinamento. Antes de competir nas etapas da Espanha e França do circuito europeu Mare Nostrum - onde somou quatro medalhas: dois ouros em Barcelona e, agora, duas pratas na França -, o brasileiro ficou três semanas em Sierra Nevada, na Espanha, fazendo preparação em altitude. "Ele está cansado, com barba e peludo", lembrou o técnico brasileiro.

A viagem para a Europa faz parte do programa de preparação para os Jogos Olímpicos de Pequim, coordenado e custeado pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), com recursos dos Correios e da Lei Agnelo/Piva.

veja também