MENU

Thiago Ribeiro dá show, e Cruzeiro consegue vantagem na Libertadores

Thiago Ribeiro dá show, e Cruzeiro consegue vantagem na Libertadores

Atualizado: Sexta-feira, 30 Abril de 2010 as 8:21

Com um primeiro tempo primoroso, o Cruzeiro manteve a média em casa e venceu mais uma partida na Libertadores, nesta quinta à noite em Belo Horizonte. O time celeste bateu o Nacional-URU por 3 a 1, na partida de ida pelas oitavas de final, e conquistou boa vantagem na luta por uma vaga nas quartas. Thiago Ribeiro, com uma atuação de gala, marcou os três gols da Raposa, enquanto Regueiro descontou para os uruguaios.

Agora, a situação é confortável para o time mineiro, que só será eliminado se perder por 2 a 0 (resultado que daria a vaga à equipe uruguaia pelo gol fora de casa) ou por três ou mais gols de diferença (o rival se classificaria com melhor saldo). Uma derrota por 3 a 1 levará a disputa para os pênaltis.

Como está fora das finais do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro pensa apenas na Libertadores. A partida de volta será realizada na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no estádio Parque Central, em Montevidéu, no Uruguai.

Thiago Ribeiro dá show e marca três vezes  

A torcida do Cruzeiro compareceu em bom número ao Mineirão para empurrar o time a mais uma vitória na Libertadores - foi a quinta partida da equipe pela competição no estádio. Antes, já havia derrotado o Real Potosí (7 a 0), o Colo-Colo (4 a 1), o Deportivo Itália (2 a 0) e o Vélez Sarsfield (3 a 0). Diante de um público bastante animado, a Raposa se assustou com a postura inicial do Nacional, que partiu para cima e levou certo perigo ao goleiro Fábio.

Mas o Cruzeiro tranquilizou seu torcedor ao marcar o primeiro gol logo aos sete minutos. O zagueiro Coates deu bobeira, e a bola sobrou para Thiago Ribeiro. O atacante, com muita velocidade, tocou entre as pernas do goleiro Muñoz. Foi o seu quinto gol na Libertadores. O time uruguaio sentiu o golpe. Imediatamente após o gol, a equipe celeste teve uma sequência incrível de oportunidades perdidas, principalmente com Gilberto, Kleber e Thiago Ribeiro. 

Assista aos gols da partida:

Mas o segundo gol estava amadurecendo. O Cruzeiro tocava a bola de um lado para outro, envolvendo o adversário. Kleber se deslocava bastante, abrindo espaços para os volantes avançarem. E foi assim que o time mineiro aumentou o placar. Aos 23, Fabrício recebeu pela direita, com liberdade, e fez o cruzamento perfeito. A bola encontrou Thiago Ribeiro, que usou a cabeça para desviar de Muñoz: 2 a 0.

A partir daí, o Nacional avançou um pouco mais sua equipe. Já o Cruzeiro, que esperava o adversário para sair nos contra-ataques, falhava no último toque e entregava a bola nos pés dos jogadores do Nacional. Aos 42, no entanto, os donos da casa marcaram o terceiro. Em grande jogada no meio-campo, Henrique se livrou de dois marcadores e fez um lançamento longo. Thiago Ribeiro, de fora da área, dominou com a cabeça e chutou forte, sem chances para o goleiro adversário. Com seu sétimo gol, Thiago se igualou a Kleber na artilharia da competição.

Momento de bobeira reduz a vantagem

Adilson Batista voltou para o segundo tempo com uma alteração: Fabrício deu lugar a Elicarlos, que voltou ao time após vários meses se recuperando de uma lesão na coxa. E o Cruzeiro retornou diferente, não só pela modificação. O time se mostrou mais relaxado, e o Nacional se aproveitou da situação para apertar na frente. O atacante Vera, logo no início, teve uma chance incrível, cara a cara com Fábio, que fez ótima defesa.

Mas na sequência, aos cinco minutos, Regueiro não desperdiçou a oportunidade. Ele se livrou de Elicarlos e diminuiu o placar: 3 a 1. O Nacional se entusiasmou com a possibilidade de se recuperar na partida, criou mais chances, mas não as aproveitou. Com o passar do tempo, o Cruzeiro equilibrou as ações, e o ataque celeste voltou a assustar o adversário.

Guerrón entrou em campo para dar mais velocidade à Raposa, mas o Nacional se defendia bem, algumas vezes com violência. Quatro jogadores da equipe uruguaia foram advertidos com cartão amarelo. O Cruzeiro tentou o quarto gol até o fim, e o resultado foi considerado positivo pelos jogadores. A se lamentar apenas o gol sofrido, que diminuiu uma vantagem que poderia ser ainda maior.

Por: Rodrigo Fuscaldi

veja também