MENU

Timão: 130 mil celebram "réveillon" do clube centenário

Timão: 130 mil celebram "réveillon" do clube centenário

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 7:36

Nas comemorações de réveillon, o branco é a cor obrigatória nas vestimentas do povo para celebrar a virada de ano. Mas nesta terça-feira, dia 31 de agosto, o preto também foi essencial. Afinal, era a noite da virada do Corinthians, em comemoração dos 100 anos de existência do clube, completados neste 1º de setembro de 2010. Para celebrar a data mais que especial, os corintianos fizeram uma grande festa no Vale do Anhangabaú. Para 100 anos de vida, cerca de 130 mil pessoas transformaram o centro da capital paulista em uma terra alvinegra.

A expectativa pela chegada do aniversário do Timão começou ainda no Parque São Jorge, onde o Clube dos 13 se reuniu para receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mandatários dos principais clubes brasileiros ouviram a autoridade maior do país colocar a alma corintiana em evidência durante um discurso que arrancou aplausos e risadas. A primeira-dama Marisa Letícia, quem diria, às vezes tira o presidente da sala por achar que ele dá azar, confessou o próprio. Ele estava duplamente feliz: pelo aniversário do centenário clube do coração e pelo nascimento do neto Pedro, mais um corintiano que veio ao mundo nesta terça. Nas comemorações de réveillon, o branco é a cor obrigatória nas vestimentas do povo para celebrar a virada de ano. Mas nesta terça-feira, dia 31 de agosto, o preto também foi essencial. Afinal, era a noite da virada do Corinthians, em comemoração dos 100 anos de existência do clube, completados neste 1º de setembro de 2010. Para celebrar a data mais que especial, os corintianos fizeram uma grande festa no Vale do Anhangabaú. Para 100 anos de vida, cerca de 130 mil pessoas transformaram o centro da capital paulista em uma terra alvinegra.

A expectativa pela chegada do aniversário do Timão começou ainda no Parque São Jorge, onde o Clube dos 13 se reuniu para receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mandatários dos principais clubes brasileiros ouviram a autoridade maior do país colocar a alma corintiana em evidência durante um discurso que arrancou aplausos e risadas. A primeira-dama Marisa Letícia, quem diria, às vezes tira o presidente da sala por achar que ele dá azar, confessou o próprio. Ele estava duplamente feliz: pelo aniversário do centenário clube do coração e pelo nascimento do neto Pedro, mais um corintiano que veio ao mundo nesta terça.

Antes mesmo de o Anhangabaú receber os torcedores, ainda à tarde, uma pessoa telefonou para a polícia dizendo que alguém tinha deixado um objeto suspeito em uma caçamba no local. O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) fez uma varredura e não achou nada. Estava tudo pronto para receber o “bando de loucos”! Enquanto Lula falava no Parque São Jorge, o público já chegava em grande número para a festa no Vale. Eram 10, 20, 30 mil... e logo tinham cerca de 130 mil pessoas espremidas entre as grades que faziam a proteção do palco até o fim do espaço destinado à festa. Alguns sofreram muito, sufocados pela multidão; vários tentaram invadir a área de imprensa, mas a polícia agiu rápido e impediu que chegassem à segunda grade.

Muitos desmaiaram e precisaram ser carregados por oficiais até o atendimento. Outros se penduraram em uma torre que funcionava como central de energia do palco. As árvores também se transformaram em “camarotes”. Tudo para que cada um pudesse ver as atrações que estavam comandando a festa. Muitos artistas se apresentaram diante da multidão. Ronaldo, ex-goleiro do Corinthians, reeditou sua banda “Ronaldo e os Impedidos”, e deu um toque de rock à noite. Os rappers Xis e Rappin Hood levaram o estilo para o público. Neto, um dos maiores ídolos do Timão, foi o mestre de cerimônias e recepcionou também Negra Li, grupo Nuance, dupla Maria Cecília & Rodolfo, grupo Exaltasamba e baterias de escolas de samba que agitaram a galera. No ritmo do batuque, o hino do clube foi entoado e cantado por mais de 130 mil vozes.

O Fenômeno Ronaldo, adorado pela massa, foi homenageado com o título de cidadão paulistano pela Câmara Municipal. Seus gols brilharam no telão e a torcida ovacionou o atacante. Certeiro com as palavras, o Fenômeno se emocionou:

- Eu não poderia imaginar passar por essa vida sem vestir essa camisa. É um sonho realizado. Sou o homem mais feliz do mundo! Outros jogadores do atual elenco também apareceram para celebrar o aniversário do clube. O capitão William aproveitou para dar um recado ecológico pedindo para os pais corintianos ensinarem os filhos, que cuidarão do planeta, a reciclar o lixo. Roberto Carlos pediu calma à multidão. Dentinho, como um maestro, puxou a música “bando de loucos”, um mantra das arquibancadas, e fez todo mundo cantar com ele. Esta é uma festa maravilhosa, só tenho que agradecer a vocês. Não vou falar muito para não chorar - emocionou-se o atacante, para depois também fazer parte do coro pelo “Parabéns” ao clube. Marlene Matheus, ex-presidente do Timão e viúva do lendário Vicente Matheus, também soltou a voz. E o chão literalmente tremeu quando todos reproduziram a paródia de uma música de Tim Maia: “A semana inteira...fiquei esperando...pra te ver Corinthians...pra te ver jogando”.

Como em todo réveillon, não poderia falta a tradicional queima de fogos. Após a contagem regressiva, finalizada por Neto com palavrões (para extravasar a emoção), o céu se iluminou e explodiu em cores, marcando a chegada de um novo século para os amantes do clube preto e branco. Para fechar com chave de ouro, o presidente Andrés Sanches pegou o microfone e anunciou aquele que é o maior presente para o torcedor: o estádio que será construído em Itaquera.

veja também