MENU

Timão bate o Figueira, mas decisão do título fica para a útlima rodada

Timão bate o Figueira, mas decisão do título fica para a útlima rodada

Atualizado: Domingo, 27 Novembro de 2011 as 8:41

Pela quarta vez consecutiva, o Campeonato Brasileiro será decidido na última rodada. O Corinthians fez a parte dele, venceu o Figueirense por 1 a 0, em Florianópolis, mas a dramática vitória do Vasco sobre o Fluminense por 2 a 1, no Engenhão, atrapalhou a festa paulista em Florianópolis. Liedson fez o gol o que manteve o Timão com grandes chances de ser campeão e complicou o sonho catarinense de se classificar pela primeira vez à Taça Libertadores.

Os mais de seis mil corintianos presentes no estádio Orlando Scarpelli já comemoravam o título quando Bernardo marcou no Engenhão, aos 45 minutos do segundo tempo, e empurrou a decisão para o próximo domingo. A matemática, contudo, ainda é simples: com 70 pontos, dois a mais que os vascaínos, o Timão precisa apenas não perder para o arquirrival Palmeiras, no próximo domingo, às 17h, no Pacaembu, para ficar com a taça pela quinta vez em sua história.

Em caso de empate e uma vitória do Cruz-Maltino sobre o Flamengo, no mesmo horário, ambos empatarão em pontos, mas os paulistas levarão vantagem no número de vitórias (atualmente, 21 a 19). Até uma derrota pode dar o troféu à equipe de Tite. Basta que os vascaínos não vençam o clássico contra o Fla.

Após ser goleado em casa por 4 a 0 pelo Fluminense, o Figueirense perdeu mais uma chance de praticamente se classificar para a Libertadores. Para piorar, caiu da quinta para a sétima colocação, com 57 pontos, e saiu do G-5. Agora, precisará vencer o Avaí, domingo, às 17h, na Ressacada, e torcer por tropeços do Coritiba e do Inter.     Liedson, do Corinthians, em lance com Bruno Vieira, do Figueirense (Foto: Ueslei Marcelino / Reuters)   Jogo ruim no início

Qualquer desavisado que chegasse ao estádio Orlando Scarpelli sem conhecer a classificação do Campeonato Brasileiro não imaginaria que Figueirense e Corinthians brigam pelos primeiros lugares. Em um misto de nervosismo e incompetência, as equipes abusaram do direito de errar no primeiro tempo e esfriaram a empolgação dos torcedores.

Precisando vencer para ter chances de voltar a São Paulo como campeão, o Corinthians fez muito pouco ofensivamente. Sempre aberto pelos lados, Emerson chamou a responsabilidade, encarou os marcadores, mas quase não ofereceu perigo. Liedson, Danilo e William foram ainda piores em um time que finalizou a gol apenas uma vez em 45 minutos. Para piorar, o zagueiro Leandro Castán levou três pontos no queixo depois de uma dividida com o atacante Júlio César.

A necessidade de vencer para reagir e seguir com chances de se classificar para a Libertadores também atrapalhou o Figueirense. Os laterais, tão elogiados pelo técnico Jorginho, praticamente não apareceram no ataque. Bruno, pela direita, se limitou a fazer o lance mais bonito da etapa inicial, aplicando dois chapéus seguidos, em Ralf e Danilo.

Assim como Sheik, Wellington Nem foi quem mais procurou jogar no lado catarinense. Rápido e habilidoso, o jovem atacante que pertence ao Fluminense deu trabalho com lances de efeito, mas não teve o apoio do ídolo Fernandes e do artilheiro Júlio César, presos na marcação. O último ainda acertou a trave em cobrança de falta em seu único momento de destaque.

Roger Carvalho, do Figueira, disputa com Danilo, do Timão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Alex entra e muda o jogo

Insatisfeito com o rendimento da equipe, Tite sacou Willian para a entrada de Alex, meia que já havia mudado o comportamento da equipe na vitória por 2 a 1, de virada, sobre o Atlético-MG. Com mais qualidade técnica, o Timão subiu novamente de produção, porém, ainda sem conseguir construir chances de concluir contra o gol de Wilson.

O Figueirense também decidiu arriscar. Jorginho adiantou suas peças para tentar pressionar, mas foi em vão. O melhor que a equipe conseguiu nos primeiros minutos foi um perigoso chute de Wellington Nem, aos 14, que passou muito próximo à trave esquerda.

Liedson comemora o gol do Corinthians contra

o Figueirense (Foto: Reuters)

Com Alex aberto pelo lado esquerdo e o maior espaço dado pelo adversário, o Corinthians sentiu a possibilidade de vencer. Aos 23, o meio-campista fez boa jogada pelo setor e cruzou. Liedson, livre, apenas desviou de cabeça, pulou as placas de publicidade e foi comemorar com a torcida. Àquela altura, era o gol do título, já que o Vasco empatava com o Fluminense.

Parte da torcida do Figueirense, revoltada, começou a deixar o Orlando Scarpelli aos 35 minutos. Os cerca de seis mil corintianos comemoravam como se estivessem no Pacaembu. Pelo rádio, porém, veio a notícia: gol do Vasco.

O clima de apreensão voltou a tomar a Fiel. E o Figueira reagiu. Aos 42, Aloísio cruzou da esquerda e a bola passou por toda a área corintiana com perigo. Baita susto. Segundos depois, porém, nova notícia do Engenhão: e desta vez era boa para o Corinthians, já que Fred empatara para o Fluminense. O penta parecia garantido.

Terminado o jogo no Orlando Scarpelli, os jogadores do Timão permaneceram no gramado, esperando notícias do Rio de Janeiro. Com os resultados de momento, o Corinthians levaria o título. Mas tinha jogo ainda no Engenhão. E, para desespero da Fiel, o Vasco chegou ao segundo gol, com Bernardo. Resultado que adia a definição do título brasileiro para a última rodada. Tensão até o fim.   Jogadores aguardam resultado do jogo Vasco x Fluminense (Foto: Marcos Ribolli / globoesporte.com)                 Vídeo: Youtube

veja também