MENU

Timão bate o Oeste, assume liderança e está classificado

Timão bate o Oeste, assume liderança e está classificado

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 8:08

Uma noite perfeita. É assim que pode ser definida a quarta-feira para o Corinthians e a sua Fiel torcida. No Pacaembu, o Timão fez 3 a 0 no Oeste de Itápolis e, além de garantir a classificação às quartas de final do Campeonato Paulista, assumiu a liderança isolada do estadual, já que o rival São Paulo caiu diante do Paulista, em Jundiaí, por 3 a 2. E o triunfo ainda teve a marca de Liedson, que fez o seu décimo gol em nove partidas desde o retorno ao Parque São Jorge (assista aos gols da partida no vídeo ao lado).

E a equipe comandada por Tite vai ainda mais animado para o clássico contra o São Paulo, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Barueri. O Timão entrerá em campo defendendo um tabu de quatro anos sem perder para o arquirrival. Neste período, foram disputados 11 jogos, com sete vitórias alvinegras e quatro empates.

Com o triunfo, o décimo em 15 partidas disputadas no estadual, o Timão foi aos 34 pontos, dois a mais que o vice-líder Palmeiras, que venceu o Linense por 3 a 0. Já o Oeste, mesmo com a derrota, segue no G-8 do torneio, com 21 pontos. Seu próximo compromisso é no sábado, quando recebe o Noroeste, às 16h (de Brasília).

Pressão logo no início

Com o retorno de Jorge Henrique, que cumpriu suspensão na vitória sobre o Americana, o técnico Tite pôde escalar pela primeira vez no Paulistão o time que considera ideal. E quando a bola rolou, o Corinthians foi como um rolo compressor pra cima do Oeste. O time do interior entrou no 3-5-2 e até tentou enfrentar o rival de igual para igual nos primeiros dez minutos. Mas a superioridade alvinegra era evidente.

E a Fiel torcida, que compareceu em número razoável ao estádio do Pacaembu, logo fez a primeira festa da noite, quando o placar eletrônico confirmou o primeiro gol do Paulista contra o São Paulo. Com o resultado, até mesmo um empate dava a liderança ao Timão.

A estratégia alvinegra era usar muita velocidade na transição do meio para o ataque, aproveitando as movimentações de Dentinho e Jorge Henrique, que não guardavam posição. Pelas laterais, Fábio Santos apresentava-se com mais frequência do que Alessandro. A partir dos 15 minutos, o Oeste fez como o Americana no último fim de semana: recuou todo e passou a se defender como podia. O Corinthians tinha mais posse de bola e chegava fácil até a entrada da área adversária, mas sempre falhava no último passe.

 Ainda no começo do jogo, o time do Interior foi obrigado a fazer uma alteração: o ala Léo Sabino sentiu uma lesão e deixou o gramado para a entrada do meia Marino, que foi atuar improvisado na marcação. Com vocação ofensiva, o camisa 14 deixou uma avenida no setor, que passou a ser ainda mais aproveitada por Fábio Santos. Em uma das jogadas do camisa 6 surgiu o escanteio que originou o primeiro gol do Timão. Morais cobrou com precisão, na cabeça de Paulinho, que subiu mais do que a zaga e mandou no canto direito de Fábio, que nem se mexeu. A bola bateu na trave esquerda e parou no fundo das redes: 1 a 0.

Com a vantagem no marcador, o Corinthians diminuiu o ritmo, esperando que o rival saísse para o jogo, o que acabou não ocorrendo. Mas nada que diminuísse o entusiasmo de seu torcedor, ainda mais depois que o placar eletrônico anunciou o segundo gol do Paulista contra o São Paulo, em Jundiaí.

Segundo tempo ainda mais fácil

No intervalo, o técnico Luis Carlos Martins foi obrigado a queimar mais uma alteração, sacando o machucado zagueiro Cris para a entrada de Caldeira. Ele também aproveitou para tirar Anselmo, que não estava bem, para colocar Alex William no ataque. Do lado corintiano, Tite manteve os titulares, e o Corinthians seguiu com amplo domínio.

Aos três, Dentinho, em giro na entrada da área, quase fez um golaço. E dois minutos depois a Fiel fez a festa novamente. Dentinho avançou pelo meio e tentou tocar para Liedson. Caldeira fez o corte parcial, e a bola sobrou para o camisa 9, que, com muita tranquilidade e categoria, mandou de pé direito, no canto esquerdo de Fábio: 2 a 0 e comemoração do novo ídolo alvinegro, que alcançou o santista Elano na artilharia do Campeonato Paulista, com dez gols.

Com a vantagem ainda maior, o jogo ficou definido. O Oeste, mesmo com as três alterações feitas, seguia sem levar o menor perigo ao Corinthians, que passou a valorizar mais a posse de bola. Tite aproveitou para dar novo gás ao time, com a entrada do peruano Luiz Ramirez na vaga de Morais. Na sequência, Bruno Cesar entrou no lugar de Jorge Henrique, preservado pelo treinador, já que estava pendurado com dois cartões.

 O jogo estava tão fácil que, mesmo sem forçar, o Timão marcou o terceiro. Aos 28, Paulo Miranda errou na saída de bola, Bruno César recuperou e tocou para Liedson, que foi travado no chute. A bola sobrou na segunda trave para Caldeira, que, ao tentar bater para longe, acertou Dentinho. A bola foi parar dentro do gol: 3 a 0.

O quarto não saiu logo em seguida porque Fábio fez um milagre em cabeçada de Liedson. Ovacionado, o camisa 9 deixou o gramado para a entrada de Willian. Nos últimos 15 minutos, enquanto a Fiel comemorava, o time tocou a bola e esperou o tempo passar. Bruno César ainda teve chance clara para fazer o quarto, mas os 3 a 0 já estavam mais do que suficientes para o Corinthians atingir dois objetivos de uma vez: garantir-se no mata-mata e assumir a liderança do Paulistão.

Por Marcelo Prado

veja também