MENU

Tomografia aponta redução de hematoma; Ricardo continua sedado

Tomografia aponta redução de hematoma; Ricardo continua sedado

Atualizado: Segunda-feira, 29 Agosto de 2011 as 12:13

                                  Ricardo Gomes passou por nova bateria de exames na manhã desta segunda-feira. A tomografia computadorizada apontou uma redução do hematoma que havia se formado no cérebro do treinador do Vasco em função de um AVC (acidente vascular cerebral) que ele sofreu no último domingo. No entanto, ele irá permanecer em coma induzido por mais 72 horas para que o edema diminua ainda mais e os médicos possam ter uma posição mais clara no que diz respeito às possíveis sequelas (veja o vídeo do Esporte Interativo do momento em que o técnico é atendido no centro médico do Engenhão).

Alexandre Campello, um dos médicos do Vasco, esteve ao lado do vice-presidente médico do clube, Manoel Moutinho, para comentar o quadro. Segundo Campello, Ricardo Gomes continua estável, respirando com auxílio de aparelhos, mas com um quadro clínico melhor.

- O hematoma reduziu e ele está com os sinais vitais estáveis. A sedação irá continuar por mais 72 horas para o quadro poder estabilizar. Acontecendo isso, vamos interromper a sedação para podermos ter noção do que irá acontecer em termos de sequela. Antes disso não temos como fazer nenhum tipo de previsão - afirmou o médico, lembrando que a agilidade de todo o processo cirúrgico aumenta ainda mais a esperança de uma boa recuperação.

- Existe um quadro de gravidade ainda, mas tudo foi feito com agilidade, o que aumenta a nossa expectativa. Mas, como disse, nada pode ser adiantado enquanto ele permanecer sedado.

Alexandre Campello levantou uma hipótese que pode ter causado o drama de Ricardo Gomes. O médico disse ter ouvido que o treinador do Vasco não tomava de forma regular os remédios para controlar sua pressão. Isto seria um fator agravante.

- Hipertensão não tem cura. Hipertensão se controla. Se o paciente não toma seu medicamento de maneira regular acaba prejudicando o próprio organismo. Ouvi que ele tomava de forma irregular, mas não tenho como confirmar isso - lamentou.

O AVC sofrido no último domingo não foi o primeiro de Ricardo Gomes. Pelo São Paulo, ele teve um quadro de isquemia temporária que acabou regredindo. O chefe do departamento médico do Vasco, doutor Clovis Munhoz, afirmou que os casos não possuem qualquer tipo de relação. No entanto, Alexandre Campello acredita que o fato acontecido no passado pode ter colaborado.

- A isquemia que o Ricardo sofreu no São Paulo regrediu completamente. Foi algo simples. Desta vez, o vaso rompeu e causou a hemorragia. Pode ter relação? Pode. Mas foi algo que aconteceu há alguns anos e a relação não é tão direta - disse o médico, explicando que o fato de a hemorragia ter invadido uma cavidade cerebral ajudou a diminuir a pressão.          

veja também