MENU

Torcida e dirigentes da Escócia rebatem acusações de racismo contra Neymar

Torcida e dirigentes da Escócia rebatem acusações de racismo contra Neymar

Atualizado: Segunda-feira, 28 Março de 2011 as 11:36

A casca de banana atirada em Neymar durante o amistoso do Brasil contra a Escócia, no último domingo, em Londres, continua dando o que falar. Dirigentes e torcedores da seleção britânica negaram que a atitude racista tenha partido deles.

-Não teve nenhum incidente dessa natureza comunicado à polícia ou aos seguranças do estádio. Na verdade, os milhares fãs escoceses que foram ao Emirates condenam esse tipo de comportamento. Eles são conhecidos no mundo pela educação impecável. Ele ajudaram a criar um maravilhoso espetáculo - disse um porta-voz da Federação Escocesa de Futebol (SFA, em inglês).

Hamish Husband, presidente de uma associação de torcedores da Escócia (Tartan Army Clubs), também negou insultos racistas.

- Neymar foi apenas vaiado porque pensamos que ele estava fingindo uma lesão durante a partida. Racismo não tem lugar na Tartan Army - afirmou Husband, ressaltando que a casca de banana pode ter sido atirada em um ato isolado e inconsequente de alguém sem ligação nenhuma com a Escócia.

A Polícia Metropolitana de Londres ratificou as palavras do porta-voz. - O comportamento dos torcedores escoceses foi de primeira classe. Não houve nenhum caso (de racismo) dentro do estádio - garantiu Mark Sheeran, porta-voz da Polícia Metropolitana.

O diário inglês "The Sun" também questionou se a banana foi realmente atirada por escoceses. De acordo com a publicação, a maior parte dos torcedores que estavam próximos do incidente eram do Brasil. O site oficial do jornal, inclusive, publica um vídeo filmado da torcida que estava atrás do gol onde foi jogada a fruta. Nele, é possível comprovar que os fãs canarinhos eram maioria (clique aqui para assistir).

O técnico da Escócia, Craig Levein, disse que não viu o incidente, enquanto Mano Menezes classificou o episódio como lamentável.

A casca de banana supostamente atirada em Neymar foi o terceiro episódio de racismo em pouco mais de uma semana no futebol europeu envolvendo brasileiros. Recentemente, os laterais Roberto Carlos, do Anzhi, da Rússia, e Marcelo, do Real Madrid, foram hostilizados por torcedores do Zenit e do Atlético de Madri, respectivamente, com atos discriminatórios.      

veja também