MENU

Traffic x Fla depois de atritos, novas diretrizes para relação por R10

Traffic x Fla depois de atritos, novas diretrizes para relação por R10

Atualizado: Sexta-feira, 4 Novembro de 2011 as 10:19

Assis, Ronaldinho e Patricia no momento da

assinatura (Foto: Alexandre Vidal / Fla Imagem) No novo contrato que será entregue ao Flamengo, a Traffic quer garantias para evitar prejuízos e novo atritos. Com altos investimentos mensais para pagar os salários de Ronaldinho Gaúcho, a empresa de marketing esportivo quer, enfim, ver a cor do dinheiro e não passar por situações como a que envolveu o patrocinador master. O retorno da parceria é totalmente baseado na geração de receitas do departamento de marketing. O acordo do Rubro-Negro com a Procter & Gamble até o fim do ano, sem intermédio nem retorno para a Traffic, motivou a suspensão do pagamento ao camisa 10 e serviu como pressão para dirigentes do clube assinarem um novo contrato.

- É um contrato muito complexo. Não dava mais para ficar com um memorando. São muitos detalhes. Alguns pontos têm impacto em várias questões – afirmou Fernando Gonçalves, executivo que assumiu o lugar de Julio Mariz na Traffic.

O Flamengo receberá um contrato detalhado e com as novas diretrizes. E é pegar ou largar, já que a empresa colocou novas cláusulas e não está disposta a seguir investindo sem ter retorno e ainda encarar situação incômoda.

Em agosto, apenas com um memorando sem valor de contrato, o Flamengo acertou com a Procter & Gamble até o fim do ano por R$ 6,5 milhões. A Traffic, que deveria intermediar e receber uma fatia, ficou fora da negociação.

A empresa, com o consenso de Assis, irmão e empresário de Ronaldinho, suspendeu dois meses de salários do jogador (cerca de R$ 1,5 milhão).

Com o vazamento sobre o atraso salarial, o Flamengo - que mantinha conversas ainda sem caráter decisivo com a Traffic ­- viu que tinha que correr para evitar ainda mais desgastes. A previsão é que na próxima segunda-feira o contrato seja assinado e os salários de Ronaldinho depositados.

A partir de agora, a Traffic acompanhará mais de perto as ações do clube para ver seu investimento dar retorno.

- Eles entenderam que deveriam ser feitos ajustes no contrato a ser assinado – afirmou o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rafael de Piro.

A presidente Patricia Amorim, que retornou de viagem aos Estados Unidos recentemente, acompanhou o caso, mas deixou as soluções e explicações para o setor jurídico do clube.

Multa rescisória milionária

Ronaldinho tem vínculo com o Flamengo até o fim de 2014. A multa rescisória para equipes de fora do Brasil está estabelecida em R$ 400 milhões.

Sem o aporte financeiro da Traffic, o clube não teria como bancar a negociação e manutenção de Ronaldinho Gaúcho. Mas na Gávea  há quem veja salvação na relação com Ronaldinho mesmo sem a parceira. O presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro, rascunhou alterações no orçamento para que o Fla assuma a parte da Traffic em caso de debandada.

- Teríamos que tirar os R$ 7 milhões previstos para aquisição de direitos econômicos de atletas. O restante seria uma guerra política para cortar do orçamento. Talvez dos esportes olímpicos – disse.

Mas Assis não desliga o telefone para chamadas internacionais. O irmão e empresário do camisa 10 tem recebido muitas ligações de clubes do exterior, mas nada de concreto. Ele apenas escuta e evita comentar o assunto, alegando que o Flamengo está em fase decisiva do Campeonato Brasileiro. Certo é que Assis também é peça da engrenagem da relação Traffic x Flamengo. Todas as decisões em relação ao jogador envolvem as três partes.          

veja também