MENU

Tricolor vence Ceará e dá ao torcedor esperança para decisão com Inter

Tricolor vence Ceará e dá ao torcedor esperança para decisão com Inter

Atualizado: Sábado, 31 Julho de 2010 as 8:38

A vitória por 2 a 1 sobre o Ceará, na tarde deste sábado, no Morumbi, era o que a torcida do São Paulo precisava para reacender a esperança. O time paulista entrou em campo modificado e com mais ofensividade, mostrando que pode mudar a história desfavorável na próxima quinta-feira. Afinal, o que a massa quer mesmo é ver a equipe vencer o Internacional por dois gols de diferença pelo segundo jogo das semifinais da Libertadores, em casa, e chegar à final da competição continental. Como uma espécie de ensaio, o anfitrião pressionou o visitante e viu um Ricardo Oliveira ainda fora do ideal fisicamente, ma sedento por gols. Tanto que fez o dele, assim como Fernandão.

Com o resultado, o Tricolor conseguiu a primeira vitória pós-Copa, chegou a 15 pontos e se afastou um pouco mais da zona de rebaixamentok, com a 11ª posição, mas ainda pode cair na tabela. O visitante permaneceu em terceiro no G-4, com 20 pontos. Na próxima rodada do nacional, o Vozão recebe o Atlético-GO no Castelão no dia 8 (domingo), e o São Paulo encara o Atlético-PR no mesmo dia, na Arena da Baixada. Mas antes encara o Inter e define o próprio rumo para o segundo semestre. Se for eliminado, passa a se preocupar somente em se afastar do rebaixamento no Brasileiro, além de possivelmente sofrer mudança de técnico. Se passar pelo Colorado, concentra todas as forças no título e no passaporte para o Mundial de Clubes, em dezembro.

Antes mesmo do início da partida, a torcida mostrou que não está nada contente com o futebol apresentado pelo time paulista desde o fim da Copa do Mundo. Duas organizadas fizeram um protesto na frente do portão 1 do Morumbi, exigindo atitude da diretoria e dos jogadores, e com faixas com frases como "Libertadores é obrigação".Rogério Ceni foi o único poupado das críticas. Já dentro do estádio, Ricardo Gomes foi vaiado quando seu nome apareceu no placar eletrônico após o anúncio das escalações. Mas ao fim do jogo, a história foi outra. Ceni abraçou todos os jogadores e levou o elenco para agradecer o apoio da torcida, que aplaudiu e incentivou. Aos gritos de "eu acredito", o São Paulo voltou para o vestiário vitorioso.

Oliveira pilhado, mas sem marcar

O treinador são-paulino surpreendeu na escalação. Deixou Fernandão e Dagoberto no banco e apostou em Fernandinho e Ricardo Oliveira. Também colocou Xandão como um falso lateral-direito, com Jean na cabeça-de-área. Cléber Santana apareceu pelo meio. E as mudanças surtiram efeito pelo menos na forma de jogar do time: Oliveira, bastante motivado, dava muito trabalho à zaga do Ceará. Logo aos cinco minutos, ele recebeu um cruzamento e chutou por cima do gol de Diego, com a bola passando pertinho do travessão.

Fernandinho e Marlos apareciam bastante para abastecer o camisa 99. Junior Cesar também era uma boa opção pela esquerda. O time de Estevam Soares se postava bem na defesa e só arriscava sair nos contra-ataques.

Aos 17, Alex Silva, atuando como líbero, pegou a cobrança de falta de Hernanes e cabeceou de forma precisa no gol, mas Diego impediu a bola na rede em grande defesa. Aos 24, Oliveira disputou bola com a defesa e não conseguiu surpreender o camisa 1 do Vozão. O domínio era todo do anfitrião.

Apesar de tentar muito e não sofrer ameaças do Ceará, o São Paulo não conseguiu marcar o gol no primeiro tempo e deixou o campo no intervalo debaixo de vaias.

Fernandão e Oliveira balançam a rede e dão esperanças à torcida

E o Tricolor voltou com as mesmas vaias, mas modificado. A expectativa era de que Gomes tirasse Oliveira, que não está 100% fisicamente. Mas o camisa 99 voltou e com novo municiador: Fernandão, que entrou no lugar de Xandão e jogou mais recuado, na criação. Com a saída do zagueiro, o Tricolor voltou ao 4-4-2, Jean foi para a lateral direita, e Cléber Santana se postou mais atrás. 

Parecia que o São Paulo dominaria novamente o segundo tempo. Aos 9, Hernanes obrigou Diego a mandar a bola para escanteio. Aos 11, um chute de Fernandinho acertou dois jogadores do adversário e quase enganou o camisa 1. Aos 15, Ceni trabalhou após um chute desajeitado de Ernandes. O Ceará começava a aparecer na área tricolor.

Mas a ameaça do visitante não durou muito tempo. Melhor durante toda a partida, o São Paulo enfim conseguiu abrir o placar. Após cobrança de escanteio de Hernanes pela direita, aos 20 minutos, Fernandão apareceu atrás de Alex Silva e, de cabeça, acertou o canto direito de Diego: 1 a 0 para o Tricolor, e o autor do gol foi comemorar com Ricardo Gomes.

A torcida emendou uma comemoração na outra: aos 22, Dagoberto, que entrou no segundo tempo na vaga de Fernandinho, lançou uma bola para Ricardo Oliveira que, sozinho, arrancou em direção ao gol de Diego e tocou por cima, fazendo um lindo gol. O atacante, marcando o seu primeiro no retorno ao clube, foi celebrar diante da torcida, que estava em êxtase: 2 a 0.

Com os dois gols, o dono da casa passou a jogar com menos intensidade. Oliveira, muito aplaudido, deixou o campo aos 28, exausto, de maca. O visitante chegava esporadicamente à área são-paulina, com chutes de longa distância que sempre paravam nas mãos de Ceni. Mas, aos 39, o Ceará diminuiu o placar em uma bela jogada de Erick Flores, que driblou dois jogadores do São Paulo e chutou no cantinho direito de Ceni. Alex Silva deu um soco no ar, irritado com o lance. Mas a verdade é que o Tricolor relaxou após marcar os dois gols.

O Vozão se empolgou com o gol e passou a dar trabalho para a defesa tricolor, chegando principalmente pela esquerda. Em uma bola cruzada na área, Alex Silva jogou para longe. Apesar do pequeno sufoco, o São Paulo assegurou a vitória em casa e ganhou o que mais precisava: a confiança para encarar o Colorado.

  Por Carolina Elustondo São Paulo

veja também