MENU

Uberlândia domina o jogo, permite virada do Minas, mas acaba campeão

Uberlândia domina o jogo, permite virada do Minas, mas acaba campeão

Atualizado: Quarta-feira, 1 Dezembro de 2010 as 9:35

O Minas até que tentou, mas não conseguiu, nesta terça-feira, forçar o jogo três da decisão do Campeonato Mineiro de basquete. Sempre à frente no placar, o Uberlândia dominou o confronto até o início do último quarto, quando permitiu a reação e até a virada dos donos da casa. Com menos de cinco minutos para o fim da partida, a vantagem era do Minas, mas um apagão geral deixou que o visitante voltasse a comandar o placar e faturasse o título após três anos de inatividade. O dulelo terminou com 78 a 74 e consagrou o norte-americano Robert Day como o cestinha, com 24 pontos. Pelo lado do Minas, destaque para Sucatzky, Raulzinho e Michel, que fizeram, somados, 44 pontos.

Início equilibrado

O primeiro quarto da partida foi equilibrado, com o Uberlândia levando vantagem de três pontos, com 20 a 17 no total. O fator que permitiu a pequena vantagem para a equipe do Triângulo atendeu pelo nome de Robert Day. O ala norte-americano anotou dez dos 20 pontos do time e foi o grande destaque.

Pelo lado do Minas, o jovem armador e xodó da torcida Raulzinho até que tentou responder com seus cincos pontos e duas assistências. Mas o grande momento da equipe da casa nos primeiros dez minutos foi a enterrada do pivô Michel, que arrancou aplausos da pequena, mas barulhenta torcida.

O time do Triângulo voltou com postura semelhante para o segundo quarto. Trabalhando a posse de bola até encontrar o ala Robert com espaço, a equipe abria vantagem com chutes de média e longa distância. Com uma marcação ruim do Minas, o Uberlândia conseguiu ampliar a vantagem, que chegou a sete pontos.

A esta altura, o armador Sucaltzky, do Minas, não tinha dado o ar da graça, mas com duas bolas de três seguidas, trouxe o time mandante de volta ao jogo. Com as mãos calibradas do armador e do pivô Michel, a equipe tentou encostar antes do intervalo, mas o Uberlândia levou a vantagem de seis pontos para o vestiário: 41 a 35.

Reação do Minas, com apagão no fim

Na volta para o terceiro período, o Uberlândia continuou melhor, sempre com os tiros certeiros de Robert, agora auxiliados pelas enterradas de Brasília. A vantagem chegou a 14 pontos, graças a um eficiente trabalho no rebote ofensivo.

No último período, era a hora do tudo ou nada para o Minas. Em desvantagem, o time precisava virar o jogo se quisesse forçar um terceiro confronto para definir o título. A estratégia foi neutralizar os dois principais pontuadores da equipe do interior, Robert e Brasília. E com ânimo para tentar a virada, a tática deu certo, e os jogadores de Nestor Garcia conseguiram cortar a diferença para quatro pontos, com uma enterrada de Guilherme.

Sem conseguir converter arremessos de longa distância e sofrendo uma forte marcação, Ratto teve de parar o jogo com o placar em 65 a 63 para seu time, restando pouco mais de cinco minutos para o fim. Perdido no jogo, o Uberlândia desperdiçou um ataque após o outro. Chamando a responsabilidade, Guilherme, o gigante de 2,09 do Minas, fez mais dois e ampliou a vantagem, que chegou a cinco pontos.

Com quase sete minutos sem marcar, coube a Robby converter dois lances livres para o Uberlândia. E aí o time do Triângulo despertou. Nervoso, o Minas cometeu uma sucessão de erros que deixaram o adversário com três pontos de vantagem, a 46 segundos para o fim.

Com poucas chances e restando cinco segundos, cada time ainda converteu uma cesta, e o placar terminou 78 a 74 para o Uberlândia, decacampeão mineiro da modalidade.

Por: Leonardo Simonini

veja também