MENU

Um mês depois do choque, Elivélton usa lição para se manter de pé

Um mês depois do choque, Elivélton usa lição para se manter de pé

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 3:05

Elivélton um mês depois: sem traumas

(Foto: Gustavo Rotstein/Globoesporte.com)

  No dia 25 de julho, o Brasil ficou impressionado com a cena. Durante uma discussão entre jogadores no campo numa partida entre Vasco e Sport, pela Taça BH de Juniores, Elivélton foi atingido pelas costas por um chute de Gustavo, goleiro do time pernambucano. O golpe acertou em cheio sua coluna, e o movimento do pescoço do vascaíno causou impacto até a quem assistiu à cena. Mas na última quinta-feira, quando o episódio completou um mês, o volante esteve em campo para mais uma vez defender e vestir a faixa de capitão do time cruz-maltino na vitória por 1 a 0 sobre o Olaria, pela Taça Otávio Pinto Guimarães, na Rua Bariri.

Foi só um susto. Até porque quatro dias depois do incidente, que causou lesão na coluna torácica e cervical, Elivelton jogou novamente pelo Vasco. Mas o que aconteceu no gramado do estádio da cidade de Barão de Cocais (MG) está marcado para sempre. Não em forma de cicatriz, mas de aprendizado que o paulista de Araras, de 19 anos, garante levar para carreira profissional e vida pessoal.

- O que aconteceu não mudou minha rotina. Levo minha vida normalmente desde então. Para falar a verdade, fiquei assustado apenas quando assisti ao vídeo e depois que o médico disse que eu poderia ficar numa cadeira de rodas ou até mesmo morrer. Não fiquei abalado. Apenas percebi a importância de não se deixar levar pelo nervosismo.

Elivélton se refere à atitude de Gustavo, que chegou a ser intimado a prestar esclarecimentos à polícia mineira por causa da agressão. Além disso, foi inicialmente demitido pelo Sport, mas depois reintegrado ao grupo, além de ser submetido a assistência psicológica. Apesar de não ter sido procurado pelo goleiro, o jogador do Vasco mostrou-se compreensivo e elogiou a nova chance dada ao companheiro de trabalho.

- Fiquei sabendo que ele recebeu auxílio psicológico, e isso é bom. Apesar de não termos conversado, achei legal ele ter voltado ao Sport. Afinal, o meu sonho é o sonho dele também - destacou Elivélton.

Volante do Vasco em partida contra o Olaria, na última quinta-feira (Foto: Gustavo Rotstein/Globoesporte.com)                

veja também