MENU

Unanimidade no Brasil, Conca conquista e faz a festa da criançada

Unanimidade no Brasil, Conca conquista e faz a festa da criançada

Atualizado: Quinta-feira, 9 Dezembro de 2010 as 2:31

Com 1,67m, sorriso fácil e estilo brincalhão, ele até passaria por uma criança para os desconhecidos. Mas essa é a questão: quem não conhece Darío Conca no Brasil atualmente? Melhor jogador do Brasileirão e presente nas 38 partidas do titulo conquistado pelo Fluminense, o argentino virou febre no país. Tricolores, rubro-negros, vascaíno, botafoguenses, jovens, adultos, idosos e crianças. Todo mundo tem repetido um gesto no mês de dezembro: aplaudir o camisa 11 tricolor.   Foi o que aconteceu em entrevista coletiva concedida no condomínio onde Conca mora na Barra da Tijuca. Tudo transcorria normalmente, os jornalistas aproveitavam a oportunidade rara do meio-campo se colocar diante dos microfones, quando, de repente, cinco crianças invadiram o salão para pedir autógrafos e desmontaram o argentino.   - Fico feliz que as crianças gostem de mim. Eu também gosto muito de criança. Sempre que tem uma perto, fico observando. Meus sobrinhos agora estão aqui e quero ficar o tempo todo com eles. Um abraço e um beijo de uma criança são muito importantes para mim. Fico muito contente quando os vejo sorrir. É uma alegria muito grande.

Com toda a família em seu apartamento carioca, Darío, como é chamado em casa, realmente não desgruda dos sobrinhos por um só minuto. Após a vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, domingo, que garantiu a conquista tricolor, a celebração deu lugar a um carinho no rosto de Thiago, filho do irmão Jorge. Em breve, o jogador do Flu deseja ampliar a árvore genealógica com seus próprios herdeiros.   - Tenho vontade de casar, ter filhos, criar uma família... Tenho pensado muito nisso. Sei que não é fácil pela correria que temos. Nas concentrações vejo a preocupação dos jogadores que são pais, eles falam que é bem complicado. Mas penso muito nisso, sim.

Desde os tempos do Vasco namorando uma brasileira, Conca não esconde o carinho pelo país que o acolheu há quatro anos e projeta trazer seu sobrenome para território tupiniquim, dividindo a nova família entre argentinos e brazucas.

- Vai ser metade e metade (risos).

Enquanto isso não acontece, ele se diverte com os filhos dos outros. Sejam parentes ou não, como os cincos fãs mirins que tiveram uma tarde especial na quarta-feira. Após a entrevista, puderam bater bola com o melhor jogador do Brasileirão. Dono da “pelota”, Luan, de sete anos, não escondeu a alegria, mas, com a inocência infantil, admitiu que seu verdadeiro ídolo é outro.

- Gosto do Forlán, do Uruguai. Por ser parecido com ele, até me chamam de Forluan – revelou o pequeno vascaíno.

Isso tudo até trocar passes com o argentino que, com simpatia e futebol, conquistou o Brasil.    

veja também