MENU

Valcke afirma que foi mal interpretado ao dizer que Catar "comprou" a Copa

Valcke afirma que foi mal interpretado ao dizer que Catar "comprou" a Copa

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 2:47

Após o vazamento de um e-mail que enviou ao vice-presidente da Fifa, Jack Warner, suspenso no fim de semana pelo Comitê de Ética da entidade por denúncias de corrupção, no qual afirmava que o Catar havia “comprado” a Copa do Mundo de 2022, o secretário-geral da entidade, Jerome Valcke, divulgou uma nota nesta segunda-feira alegando que foi mal interpretado.

“O senhor Warner publicou um e-mail que eu mandei para ele. Eu quero esclarecer que talvez eu tenha usado no e-mail um tom muito menos formal que eu uso em qualquer forma de correspondência oficial”, diz Valcke. “Na verdade, quando me refiro à Copa do Mundo de 2022, o que eu queria dizer era que a candidatura vencedora usou sua força financeira como lobby para obter apoio. Eles eram candidatos com um orçamento muito importante e usaram isso para promover a candidatura.”

“Eu não fiz e nunca tive qualquer intenção de fazer referência à compra de votos ou outro comportamento antiético”, continua o dirigente. “Também quero esclarecer que não há, como disse ontem (domingo), nenhuma investigação aberta na Fifa sobre as eleições para escolha da sede da Copa do Mundo de 2022.”

O e-mail de Vaçke foi divulgado por Warner depois que ele foi suspenso pela entidade no domingo por conta das denúncias de suborno do catariano Mohamed bin Hammam para a eleição presidencial contra Joseph Blatter.

"Eu nunca entendi porque ele [Mohamed Bin Hammam] estava concorrendo", disse Valcke a Warner no e-mail. "Ele realmente achava que tinha uma chance ou apenas era uma maneira extrema de expressar o quanto ele não gosta mais de JSB [Joseph Blatter]. Ou ele pensou que você pode comprar a Fifa como eles compraram a WC [Copa do Mundo]".  

veja também